Remessa da títulos públicos europeus é destaque da imprensa

O jornal francês Les Echos destaca os empréstimos europeus.
O jornal francês Les Echos destaca os empréstimos europeus. RFI

O jornal econômico Les Echos traz destaque para a primeira remessa de títulos do Fundo Europeu de Estabilidade, realizada ontem e que foi bem recebida pelo mercado financeiro.

Publicidade

O Fundo conseguiu levantar 5 bilhões de euros, sendo que 3 bilhões e 300 milhões serão imediatamente repassados à Irlanda. Os títulos são destinados a ajudar os países da União Europeia em dificuldades.

Em uma entrevista ao jornal, o francês Frédéric Gabizon, encarregado da remessa, estimou que a operação foi um sucesso e que reflete a confiança dada aos novos mecanismos europeus. O editorialista do Les Echos também fala em surpresa e afirma que a operação marca uma ruptura no mercado.

O jornal Le Parisien traz matéria sobre o caso envolvendo suspeistas de espionagem na montadora Renault. Segundo o jornal, os serviços de contra espionagem franceses fizeram uma batida nos escritórios dos três empregados da montadora acusados de espionagem industrial.

Os empregados, que tiveram que deixar os cargos na empresa,são acusados de divulgar informações secretas ligadas a um projeto confidencial do grupo no qual foram investidos, com o parceiro japonês Nissan, 4 milhões de euros, cerca de 9 milhões de reais. Eles afirmam inocência.

Os jornais franceses também dão destaque para o relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI), divulgado ontem. O FMI revisou para cima as perspectivas de crescimento da economia global, mas alertou para os riscos de instabilidade na zona euro, lembra o Figaro.

O Fundo também revisou para cima a projeção de crescimento para a economia brasileira neste ano e alertou para o risco de pressão inflacionária em economias emergentes.

O jornal Libération se interessa pela corrida para as presidenciais dentro do Partido Socialista francês. O jornal insinua que o candidato do chamado Partido da Esquerda, Jean-Luc Melechon, representa uma ameaça para os socialistas, que ainda não definiram seu candidato às presidenciais de 2012. O editorial do Libê entretanto, parece defender Dominique Strauss Khan, o diretor geral do FMI e um dos possivies candidatos do PS. Segundo o editorialista do jornal de tendência socialista, Melenhcon julga Strauss Khan sem provas.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.