Acessar o conteúdo principal
Eleições/Cazaquistão

Presidente do Cazaquistão foi reeleito com mais de 95% dos votos

O presidente do Cazaquistão, Noursoultan Nazarbaïev, está no poder há 22 anos.
O presidente do Cazaquistão, Noursoultan Nazarbaïev, está no poder há 22 anos. Reuters
Texto por: Silvano Mendes
2 min

Segundo os organismos oficiais do país, o pleito contou com 90% de participação, mas as eleições não foram reconhecidas pelas autoridades internacionais. Apesar dos problemas ligados à repressão, Noursoultan Nazarbaïev, que está no poder há 22 anos, beneficia de altas taxas de popularidade.

Publicidade

Antes mesmo de os resultados oficiais serem anunciados, Noursoultan Nazarbaïev se proclamou vencedor. De acordo com os números oficiais divulgados nesta segunda-feira, o presidente foi reeleito com 95,5% dos votos válidos. “Vocês me deram carta branca para continuar as reformas econômicas, políticas e sociais”, disse Nazarbaïev.

Os observadores da Organização para a Segurança e a Cooperação da Europa (OSCE) chamaram a atenção para as irregularidades do pleito. As eleições foram convocadas dois anos antes do final do mandato do presidente, o que deixou apenas dois meses para que os demais partidos se organizassem. Apesar disso, a oposição conseguiu apresentar três candidatos, mesmo se nenhum deles teve coragem de se opor publicamente ao regime em vigor.

Desde que Nazarbaïev entrou no poder em 1989 nenhuma eleição presidencial no Cazaquistão foi reconhecido pelos observadores internacionais, e desta vez não foi muito diferente. “Lamentamos ter que concluir que essas eleições poderiam e deveriam ter se organizado de outra maneira”, disse Daan Everts, responsável da missão permanente de observação da OSCE.

Apesar da repressão que reina no Cazaquistão, Noursoultan Nazarbaïev beneficia de altas taxas de popularidade junto aos 16 milhões de cidadãos, principalmente por causa do crescimento econômico ligado às vastas reservas de petróleo do país.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.