IMPRENSA

Fábrica de antiretrovirais financiada pelo Brasil na África e gêmeos de Cândido Godói estão na imprensa francesa

Capa dos principais jornais franceses
Capa dos principais jornais franceses A. DE FREITAS
4 min

A fábrica de retrovirais que o governo brasileiro ajuda a construir em Moçambique e a cidade brasileira de Cândido Godói, no Rio Grande do Sul, famosa pelo elevado número de gêmeos em sua população, são temas de artigos na imprensa francesa neste fim de semana.

Publicidade

A edição de domingo/segunda-feira (24 e 25 de abril) do jornal Le Monde traz uma reportagem sobre a fábrica de medicamentos antiretrovirais, utilizados no tratamento da Aids, que o governo brasileiro financia em Matola, bairro da periferia de Maputo, capital de Moçambique. Le Monde conta que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez questão de visitar as obras do complexo em novembro do ano passado, um mês antes de encerrar seu mandato. Na ocasião, Lula declarou que o projeto iria "libertar o povo moçambicano da dependência dos laboratórios dos países desenvolvidos".

Faltando um ano para a inauguração da unidade, Le Monde mostra os benefícios que esse projeto trará ao país africano. A produção de antiretrovirais na fábrica de Matola vai reduzir a vulnerabilidade dos 11,5% de moçambicanos portadores do vírus HIV. O jornal relata que o Brasil investiu 15 milhões de euros, cerca de R$ 35 milhões, praticamente o valor total da obra. Além disso, explica Le Monde, o governo brasileiro enviou ao local um especialista que vai dirigir a fábrica durante os primeiros dois anos de atividade, a fim de formar um sucessor qualificado, e também se comprometeu a fornecer gratuitamente as fórmulas de antiretrovirais genéricos.

Várias pessoas envolvidas no projeto são entrevistadas pelo jornal francês e relatam a pressa de ver a fábrica em funcionamento, o que deve acontecer no início de 2012. O maior desafio, segundo uma funcionária da embaixada brasileira em Maputo, é obter o certificado de qualidade internacional da fábrica. Com isso, além de oferecer antiretrovirais para sua população, Moçambique poderá ajudar outros países da África "a se libertar dos países desenvolvidos", como antecipou o ex-presidente Lula.

A cidade onde os gêmeos nascem às centenas

A matéria sobre Cândido Godói, no Rio Grande do Sul, está publicada no suplemento do The New York Times que o diário Le Figaro traz em sua edição de sábado, com textos em francês. O artigo, curioso, conta que já circularam as ideias mais malucas para justificar o elevado número de gêmeos na população da cidade gaúcha. Desde a tese de que a água era supervitaminada até supostas experiências feitas por Josef Mengele, o médico nazista conhecido como o Anjo da Morte, que passou pela região na década de 60.

"Mengele ficou famoso por suas experiências com gêmeos no campo de concentração de Auschwitz, aparentemente destinadas a produzir uma raça superior", diz o texto da matéria, antes de concluir com o seguinte comentário. "Famílias de imigrantes que chegaram à região na década de 30 introduziram um gene específico, que foi encontrado na maioria das mães de gêmeos nascidos em Cândido Godói; os casamentos co-sanguíneos explicam o resto da história."

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.