Balas perdidas na periferia de Paris assustam autoridades e moradores

Jornal francês "Le Parisien" traz matéria sobre problemas de tiroteios perto de escola, o que impedem alunos de sair para recrear
Jornal francês "Le Parisien" traz matéria sobre problemas de tiroteios perto de escola, o que impedem alunos de sair para recrear RFI

O jornal Le Parisien desta quinta-feira, 2 de junho, relata a grave situação do aumento do tráfico de drogas na região metropolitana de Paris. Reportagem do jornal mostra que, na quarta-feira, uma escola primária da pequena cidade de Sevran, ao norte de Paris, decidiu manter os 600 alunos fechados nas salas de aula, sem recreio, para proteger as crianças de balas perdidas.

Publicidade

O prefeito da cidade, Stéphane Gatignon, do Partido Verde, relata que já pediu várias vezes providências ao alto escalão do governo para combater os tiroteios entre grupos de traficantes que disputam o comércio da droga na região. Gatignon afirma que o município atravessa uma crise de gravidade inédita e chega a sugerir o envio de soldados de paz da ONU para proteger a população. Os acertos de contas nas ruas se tornaram frequentes, espalhando medo entre os moradores.

Os professores da escola Montaigne afirmam ao jornal que há vários meses passaram a dar aulas com as janelas fechadas, tanto para proteger as crianças do barulho dos disparos quanto pelo risco de ferimento. Como as autoridades não tomaram nenhuma medida para erradicar a guerra do tráfico em Sevran, que fica no departamento de Seine Saint Denis, palco da ação de narcotraficantes na região parisiense, o jeito é manter as crianças sem recreio.

O jornal diz que o aumento da presença policial nas ruas de Sevran não dá conta de inibir o tráfico. Segundo dados das autoridades de segurança locais, o comércio de drogas em Sevran movimenta de 20 mil a 30 mil euros por dia.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.