Europeus estão divididos sobre ajuda à Grécia, diz imprensa francesa

O presidente francês Nicolas Sarkozy e a chanceler alemã Angela Merkel reúnem-se nesta sexta-feira em Berlim.
O presidente francês Nicolas Sarkozy e a chanceler alemã Angela Merkel reúnem-se nesta sexta-feira em Berlim. Reuters

A divisão dos europeus sobre um novo pacote de ajuda à Grécia é um dos destaques da imprensa francesa desta sexta-feira. A reunião de hoje entre o presidente francês, Nicolas Sarkozy, e a chanceler alemã, Angela Merkel, deve chegar a um acordo de base para salvar um país que está à beira da falência, informa o jornal econômico Les Echos.

Publicidade

No encontro em Berlim, Sarkozy vai tentar a todo custo reverter a postura da Alemanha que reclama uma maior participação dos credores privados no fardo que se tornou a dívida grega, escreve o jornal. Les Echos lembra que Paris e o Banco Central Europeu são contra essa proposta por temer um risco de contaminação em toda a zona do euro caso o sistema bancário seja obrigado a reescalonar a dívida.

Em duas páginas, Les Echos explica como a Grécia chegou ao atual caos financeiro. A crise da dívida grega era previsível mas todos os governos fizeram vista grossa. Há pelo menos 10 anos o país não cumpre o que determina o Pacto de Estabilidade Europeu, que limita a 3% o déficit público, explica o jornal.

Em seu caderno de economia, Le Figaro diz que Angela Merkel está irritando seus parceiros europeus ao condicionar uma maior implicação dos credores da dívida antes de estender novamente à mão à Grécia. O objetivo é evitar que o contribuinte alemão pague por uma dívida que não é sua, diz o jornal. Para Le Figaro, Sarkozy terá que usar muita imaginação para convencer a chefe de governo da Alemanha a firmar um compromisso. Enquanto isso, os europeus adiam a decisão sobre um novo plano à Grécia, empurrando agora para metade de julho, informa o jornal conservador.

Situação dramática na fronteira da Síria com a Turquia

O Libération dedica sua reportagem principal ao drama dos refugiados sírios que tentam fugir para a Turquia mas, quando chegam na fronteira, hesitam com medo de perder tudo o que construíram. O correspondente do jornal conseguiu chegar ao norte da Síria e relata o medo da população e a violenta repressão do regime de Bashar al- Assad sobre os moradores da região de Jirs Al Chougour. Uma declaração de um ferido deu origem ao título da manchete: "Nosso presidente está nos matando".

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.