Fato em Foco

Preço das matérias-primas vai ficar elevado, segundo OCDE e FAO

O Brasil vai contribuir em 27% para o aumento do preço do milho, diz relatório conjunto da OCDE e da FAO.
O Brasil vai contribuir em 27% para o aumento do preço do milho, diz relatório conjunto da OCDE e da FAO. Ryan Stone

O risco de volatilidade no preço das matérias-primas deve permanecer elevado nos próximos anos devido à dificuldade dos países em restabelecer seus estoques, à especulação financeira nos mercados de commodities e às flutuações nas taxas de câmbio em relação ao dólar. As conclusões são do relatório Perspectivas Agrícolas Mundiais para o período 2011-2020, publicado nesta sexta-feira, em Paris, pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e a Agência das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). Ouvimos Céline Giner, economista da OCDE.