Fato em Foco

Flotilha da Liberdade 2 prestes a zarpar em direção a Gaza

Áudio 04:05
Ativistas pró-palestinos em manifestação em Atenas, Grécia.
Ativistas pró-palestinos em manifestação em Atenas, Grécia. Reuters

Militantes, deputados e jornalistas de 22 países se preparam para tentar furar novamente o bloqueio naval a Gaza, no Oriente Médio. São cerca de 350 pessoas, em dez embarcações de diferentes bandeiras, com ajuda humanitária a bordo. Nos próximos dias, os barcos vão se reunir em águas internacionais para avançar em direção a Gaza. Os detalhes sobre a partida são mantidos em segredo até a última hora, por medo de sabotagem, como o ocorrido na noite de segunda-feira, segundo denúncia de ativistas gregos. Um dos navios participantes da chamada Flotilha da Liberdade 2 teve o eixo que leva a hélice cortado com serrote e um dos motores estava em pane. Há cinco anos, com a vitória eleitoral dos extremistas do Hamas na Faixa de Gaza, o governo de Israel determinou um bloqueio à região, habitada por 1,5 milhão de pessoas. Em maio de 2010, uma frota naval similar, organizado por uma ONG turca, foi interceptada pelo exército israelense. A intervenção violenta provocou a morte de novo militantes pró-palestinos. Para a deputada europeia verde, Nicole Kiil-Nielsen, da França, o governo israelense viola o direito internacional com o bloqueio à Faixa de Gaza. Ela está em Atenas, de onde zarpam os barcos franceses que vão fazer parte da nova flotilha.