Acessar o conteúdo principal
Papa/Rio de Janeiro

Rio vai sediar Jornada Mundial da Juventude em 2013

Bento 16 celebrará missa, neste domingo, no encerramento da Jornada Mundial da Juventude, em Madri.
Bento 16 celebrará missa, neste domingo, no encerramento da Jornada Mundial da Juventude, em Madri. Photo by Franco Origlia/Getty Images
Texto por: RFI
3 min

O papa Bento 16, que está em Madri para participar da Jornada Mundial da Juventude, deve anunciar neste domingo, que o evento será realizado no Rio de Janeiro em 2013. Sérgio Cabral, governador do Rio, desembarcou na sexta-feira na Espanha, onde deve assistir à missa que será celebrada pelo papa.

Publicidade

Durante a missa, que será realizada no domingo de manhã, dez jovens brasileiros vão receber, de maneira simbólica, a Cruz Peregrina, que representa o evento católico. A Jornada deve reunir pelo menos quatro milhões de jovens no Rio de Janeiro. Este ano, mais de 1,5 milhão de jovens de 182 países participaram da jornada em Madri. O Brasil é o sexto em número de peregrinos, com pelo menos 16 mil participantes. Quase metade deles do Estado do Rio.

Esta será a segunda vez que o papa Bento XVI vai ao Brasil, a primeira foi em 2007, mas ele visitou apenas as cidades de São Paulo e Aparecida do Norte. Antes de ser nomeado papa, ele esteve duas vezes no país.
 

Bento 16 realiza vigília e missa em Madri

Mais de um milhão de pessoas são esperadas para a missa que Bento 16 vai celebrar no encerramento da 26ª Jornada Mundial da Juventude Católica. Muitos jovens chegaram na manhã de sábado e se instalaram em um acampamento montado no aeródromo de Cuatro Vientos, em Madri, para participar de uma vigília de oração que deve durar toda a noite. Um gigantesco altar de 200 metros de largura foi instalado na esplanada do aeródromo de onde o papa deve falar aos fiéis.

Na manha de sábado, Bento 16 ouviu a confissão de quatro jovens no parque do Retiro, para demonstrar a importância que dá ao sacramento da penitência. Ele se instalou em um dos 200 confessionários em lona branca, instalados no Parque, onde já passaram milhares de peregrinos desde quarta-feira, para escutar as confissões de dois franceses, uma suíça e uma espanhola.

Ele também falou para seis mil seminaristas, de todas as nacionalidades, na catedral da Almudena. O papa pediu que os religiosos não se deixassem intimidar por um ambiente “que quer excluir Deus”. Ele lembrou aos jovens que as principais obrigações do sacerdócio são o celibato, o desprendimento dos bens materiais e a sobriedade.

Na sacristia da catedral, Bento 16 foi cumprimentado pelo chefe da oposição conservadora espanhola, Mariano Rajoy. Na véspera, ele se encontrou com o chefe de governo, o socialista José Luis Rodriguez Zapatero. As relações da Espanha com o Vaticano foram abaladas foram abaladas, há seis anos, quando o governo espanhol adotou uma lei liberando o casamento homossexual.

A visita do papa à Madri foi marcada por distúrbios e confrontos de jovens com a polícia que se manifestaram contra o alto custo da Jornada e da visita do papa, em um momento em que a Espanha atravessa uma grave crise financeira.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.