Fato em Foco

"A comissão quer fazer uma fotografia honesta dos fatos", diz Paulo Sérgio Pinheiro

Áudio 04:42
Experiente, Paulo Sérgio Pinheiro parte para sua primeira missão no Oriente Médio.
Experiente, Paulo Sérgio Pinheiro parte para sua primeira missão no Oriente Médio. HRBrief
Por: Leticia Constant
6 min

O diplomata e professor brasileiro Paulo Sérgio Pinheiro foi escolhido pelas Nações Unidas para presidir a comissão que investigará violações de direitos humanos na Síria. Em seis meses de protestos populares contra o regime, mais de 2.600 pessoas morreram em confrontos com as forças armadas enviadas pelo presidente Bachar al-Assad para reprimir as manifestações. A comissão da ONU será formada por três personalidades. Além de Pinheiro, que vai dirigir os trabalhos, o grupo também conta com a presença da turca Yakin Erturk, com larga experiência na questão das violências contra mulheres, e a americana Karen Abou Zeid, ex-responsável da ONU para os refugiados palestinos. Em entrevista à Radio França Internacional, Paulo Sérgio Pinheiro explica que a situação na Síria é complexa, mas que espera convencer o governo do país a receber a comissão.