Acessar o conteúdo principal
Ciência/ descoberta

Cientistas descobrem que envelhecimento celular é reversível

Procedimento foi realizado in vitro.
Procedimento foi realizado in vitro. REUTERS/Gareth Watkins
Texto por: Lúcia Müzell
2 min

Pesquisadores franceses da cidade de Montpellier anunciaram uma descoberta que pode revolucionar as teorias sobre o envelhecimento humano. Os cientistas conseguiram rejuvenescerer células de mais de 100 anos. A façanha aconteceu ao reprogramarem as unidades genéticas in vitro para o seu estágio de células-tronco embrionárias. Desta forma, eles reencontraram o período mais jovem dos tecidos. 

Publicidade

O cientista responsável pelo estudo, Jean-Marc Lemaitre, explicou que o foco da pesquisa foi compreender a origem do envelhecimento das células e corrigir os aspectos patológicos deste processo. Tudo porque, em 2007, a ciência foi capaz de retransformar células velhas em células-tronco, mas a transição para as embrionárias foi barrada no primeiro estágio do envelhecimento, quando as células param de se reproduzir. Foi essa etapa que os cientistas franceses conseguiram desvendar, através de uma combinação genética inovadora, feita in vitro.

Os cientistas do Instituto de Genômica Funcional da Universidade de Montpellier testaram o processo, inicialmente, em um doador de 74 anos. Com o sucesso, passaram para um de 92, depois 94, até que conseguiram o rejuvenescimento celular de um homem de 101 anos. Eles então concluíram que não há limites para reprogramar a genética das células envelhecidas.

De acordo com Lemaitre, o trabalho - publicado na revista científica Genes & Development - abre caminho para a utilização das células reprogramadas para melhorar o sistema imunitário e melhorar o funcionamento de órgãos e tecidos de pacientes idosos.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.