Acessar o conteúdo principal
França/Campanha

Oposição diz que meta de Sarkozy de reduzir imigração é "perigosa"

Nicolas Sarkozy  durante o programa de televisão da France 2.
Nicolas Sarkozy durante o programa de televisão da France 2. REUTERS/Philippe Wojazer
Texto por: RFI
3 min

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, deu ontem mais um passo na virada à direita da sua campanha pelas eleições presidenciais na França. Se for eleito, ele prometeu reduzir pela metade a imigração no país.  A  oposição vê nessas declarações uma guinada perigosa rumo à extrema-direita.

Publicidade

A oposição francesa vê com maus olhos as declarações contra a imigração de Nicolas Sarkozy. Entre os membros da esquerda, as propostas de Sarkozy foram amplamente criticadas. O candidato socialista à eleição presidencial, François Hollande, disse hoje em entrevista à radio Europe 1 que as propostas do presidente francês são incoerentes. "Ontem, ele queria uma imigração econômica e hoje ele quer reduzí-la", disse Hollande.

O eurodeputado do partido Europa Ecologia Daniel Cohn-Bendit diz que querer cortar pela metade o fluxo de imigrantes é uma proposta "humilhante e perigosa". "Numa época de crise, as pessoas estão ansiosas e têm medo. Um presidente da República não tem o direito de dizer que há pessoas em excesso". 

Na luta para seduzir o eleitorado mais conservador, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, voltou a endurecer o tom contra a imigração. Em um programa televisivo ontem, Sarkozy anunciou que pretende cortar pela metade o número de estrangeiros que entram legalmente no território francês. Ou seja, passar dos atuais 180 mil por ano para, no máximo, 100 mil.

Segundo Sarkozy, a França tem sido "generosa" demais e é preciso restringir a entrada de estrangeiros para assegurar uma boa qualidade de integração e evitar a "explosão" das contas do Estado. Para Sarkozy, há estrangeiros em excesso na França e, que por isso, o sistema de integração desses imigrantes “está cada vez pior”.

Na proposta de Sarkozy, estrangeiros que queiram casar com franceses, por exemplo, terão que ser submetidos a uma rigorosa entrevista nos consulados do país de origem e provar ter renda, endereço fixo e conhecimentos da língua e da cultura francesas para obter um visto de residência. O mesmo critério será aplicado para candidatos a um visto de trabalho na França. O presidente francês diz se inspirar dos modelos alemão e britânico de imigração.

Caso seja reeleito, Sarkozy também promete reduzir o acesso dos estrangeiros aos benefícios dos programas sociais.  Desde que assumiu a presidência em 2007, o presidente francês colocou o combate à imigração, legal e ilegal, no centro da sua agenda política, adotando metas de expulsão e restringindo a regularização de imigrantes sem documentos.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.