Acessar o conteúdo principal
ONU/jornalistas

ONU quer mais proteção para jornalistas

Nos cinco primeiros meses de 2012, 65 jornalistas perderam a vida.
Nos cinco primeiros meses de 2012, 65 jornalistas perderam a vida. ChrisEngelsma/Wikipédia
2 min

Dois relatores especiais da ONU fizeram um apelo nesta quarta-feira diante do Conselho dos Direitos Humanos, reunido em Genebra, Suíça, por uma melhor proteção a jornalistas. A cada ano, cada vez mais jornalistas perdem a vida.

Publicidade

Em dois relatórios separados, os especialistas da ONU pela liberdade de expressão, Frank La Rue, e sobre execuções sumárias, Christof Heyns, denunciam a falta de vontade política de alguns países para aplicar as leis existentes.

Nos cinco primeiros meses de 2012, 65 jornalistas morreram no mundo, de acordo com a agência suíça ATS. Isso significa um aumento de cerca de 50% em relação ao mesmo período do ano passado. Desses, pelo menos 15 foram mortos na Síria, sete no México e seis na Somália. Muitos outros foram atacados ou estão presos.

Os relatores da ONU pediram a elaboração de uma declaração sobre a proteção dos jornalistas, comparável ao documento das Nações Unidas sobre os direitos dos defensores dos direitos humanos ou sobre os direitos dos povos indígenas.

Frank La Rue destacou a necessidade de uma maior definição da função jornalística, diante do aumento de blogueiros na internet, que publicam notícias sem se preocupar com aspectos da profissão, como a verificação dos fatos. A UNESCO pretende organizar em novembro uma nova conferência, incluindo a sociedade civil, para discutir o o projeto.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.