Acessar o conteúdo principal
Isaac/EUA

Furacão Isaac rompe barragem próxima de Nova Orleans

Uma árvore tombada anuncia chegada do furacão Isaac a Nova Orleans, em 29 de agosto de 2012
Uma árvore tombada anuncia chegada do furacão Isaac a Nova Orleans, em 29 de agosto de 2012 REUTERS/Sean Gardner
Texto por: RFI
3 min

Nesta quarta-feira, o furacão Isaac rompeu uma das barragens ao redor de Nova Orleans, ameaçando algumas regiões do sudeste da Louisiana de inundação. O dique localizado entre as cidades de Braithwaite e White Ditch, ao sul da cidade submergiu e as autoridades locais já emitiram uma ordem para a evacuação de Plaquemine, uma península a 90 quilômetros de Nova Orleans. Dos 2 mil habitantes que receberam o aviso, nem metade havia abandonado suas casas, de acordo com o governante da região, Billy Nungesser.

Publicidade

"Na margem leste, existem pessoas refugiadas sobre os telhados ou dentro dos sótãos das casas porque há entre 3,5m e 4m d'água dentro de suas casas", disse Nungesser, antes de acrescentar: "o ciclone foi muito mais forte do que imaginávamos". A dimensão do estrago ainda é desconhecida, já que as condições meteorológicas impedem uma avaliação precisa da situação. Não se sabe sequer quantas pessoas estão presas na península. "As estradas não têm condições de uso e não se pode pegar um barco com este vento", completou Nungesser.

De acordo com o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos, o olho do furacão se desloca para o interior do estado de Louisiana, a cerca de 89 km de Nova Orleans. Durante o dia, ele deve atingir a cidade. Embora o Isaac se enquadre na categoria 1, entre os ciclones mais fracos, ele provocou uma violenta onda de tempestades ao longo da costa ao norte do Golfo do México e isso pode desencadear inundações. O Katrina que, há exatos sete anos, devastou Nova Orleans e deixou mais de 1,8 mil mortos, era de categoria 3.

Prova d'água
Agora, o Isaac será o grande teste para o novo sistema de barragens, construído depois do Katrina, a um custo de US$ 14,5 bilhões. Em coletiva de imprensa, o prefeito de Nova Orleans, Mitch Landrieu, ressaltou sua confiança na infra-estrutura: "Sua cidade está em segurança", declarou. "Estamos no meio deste combate. Estamos em fase de retirada". Quem parece estar pronto para o combate são os guardas armados de fuzis, dispostos pelas ruas desertas da cidade para desencorajar ondas de saques.

Em um comunicado emitido pela Casa Branca na última terça-feira, o presidente Barack Obama pediu aos moradores do litoral que "escutem as orientações das autoridades locais e compreender eventuais ordens de evacuação". E completou: "Este não é o momento de provocar o destino ou ignorar os avisos oficiais. É preciso levar essa situação a sério".

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.