H7N9/China

Vírus da gripe aviária H7N9 faz sua 24ª vítima fatal na China

Agente sanitário desinfeta viveiro de aves em Taiwan, onde foi registrado um caso do vírus H7N9.
Agente sanitário desinfeta viveiro de aves em Taiwan, onde foi registrado um caso do vírus H7N9. REUTERS/Pichi Chuang

O vírus da gripe aviária H7N9 fez sua 24ª vítima na China desde março. O anúncio foi feito nesta segunda-feira pela agência de informações oficial do regime comunista. Até o momento, 120 casos da doença foram registrados no país.

Publicidade

A 24ª vítima do vírus H7N9, de sobrenome Chen, tinha 89 anos e morreu em Xangai depois de 12 dias de tratamento sem sucesso.

A maioria dos casos de infecção foram registrados no Leste do país, mas a doença se espalhou para outras províncias, especialmente as de Hunan e Fujian. Até o momento, há informações sobre um único infectado fora da China, um empresário de 53 anos de Taiwan que contraiu o H7N9 em território chinês.

Os especialistas insistem que o vírus não pode ser transmitido entre humanos – o que poderia originar uma pandemia. A Organização Mundial da Saúde (OMS) não tem nenhum registro de contágio entre pessoas até o momento, mas preveniu que o H7N9 é um das variações mais mortais da gripe aviária e mais perigosa que a H5N1.

Antes dos casos registrados na China, a cepa H7N9 da gripe aviária não era transmitida aos humanos. No entanto, os pesquisadores já confirmaram que o vírus teve origem em aves.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.