Bangladesh

Confronto entre militantes islâmicos e polícia deixa 32 mortos

Polícia e manifestantes radicais islâmicos se enfrentam durante protesto na capital de Bangladesh.
Polícia e manifestantes radicais islâmicos se enfrentam durante protesto na capital de Bangladesh. MUNIR UZ ZAMAN / AFP

As autoridades de Bangladesh informaram agora de manhã que o saldo de mortos no conflito entre a polícias e manifestantes islâmicos já chega a 28 mortos. Até hoje à noite, o governo proibiu qualquer protesto nas ruas do país.

Publicidade

No centro comercial da capital Dacca, o rastro da violência de ontem à noite ainda é visível com vidraças quebradas, lojas incendiadas, árvores arrancadas do solo e muitas pedras e tijolos pelos chão.

Segundo a organização islâmica Hefaj-e-Islam, que organizou o protesto, o número de mortos pode ser ainda maior porque, segundo eles, a polícia usou balas reais para dispersar o protesto. A polícia, porém, nega a informação e diz que foram usados apenas gás lacrimogêno, canhões de água e balas de borracha paa conter os cerca de 70 mil manifestantes que participavam da passeata.

O objetivo do protesto era pressionar o governo laico do país a adotar regras baseadas no islamismo radical como a separação de homens e mulheres em locais públicos e também a adoção da pena de morte para quem "caluniar" o Islã.

O confronto violento entre a polícia e manifestantes acontece em um momento em que o país ainda está de luto com a tragédia do desabamento de um prédio na capital no último dia 24 de abril. O local abrigava confecções de marcas internacionais e o saldo revelado hoje de manhã é que o número de mortos já ultrapassa 650 pessoas.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.