Le Figaro acha que Roberto Azevêdo pode reanimar tensões na OMC

RFI

Poucos jornais chegaram às bancas nesta quinta-feira, 9 de maio de 2013, por causa do feriado religioso da Ascensão do Senhor. Eles destacam a confirmação da eleição de Roberto Azevêdo para dirigir a OMC. A vitória do diplomata brasileiro, anunciada na terça-feira à noite, foi confirmada na tarde de ontem em Genebra, na sede da Organização Mundial do Comércio.

Publicidade

O conservador Le Figaro diz que a escolha do diplomata brasileiro para chefiar a OMC é uma dupla revolução. Ela representa ao mesmo tempo a importância crescente da América Latina no cenário internacional e o novo peso das potências emergentes no mundo. O jornal lembra que a disputa foi super acirrada e que simbolicamente a maioria esmagadora dos candidatos representava países do sul.

A luta final foi entre dois modelos econômicos opostos. De um lado, o liberalismo das potências industrializadas e de outro, a defesa de países em desenvolvimento com tendências protecionistas. Venceu, segundo o Le Figaro, o modelo mais radical defendido pelo Brasil e que deverá interferir no futuro da OMC.

O novo diretor-geral brasileiro, que irá assumir as rédeas da instituição em primeiro de setembro substituindo o francês Pascal Lamy, será capaz de salvar a OMC ameaçada de paralisia? Apesar de elogiar o hábil diplomata brasileiro, o jornal tem dúvidas e afirma que Azevêdo poderá reanimar as tensões entre a Europa, a China e os Estados Unidos.

Como defesa, o Le Figaro cita, em destaque, a afirmação da presidente Dilma Rousseff dizendo que a escolha de Roberto Azevedo não foi uma vitória nem do Brasil, nem de um grupo de países, mas da Organização Mundial do Comércio.

O Aujourd'hui en France não é tão crítico quanto o Le Figaro. O tablóide diz que o sucessor de Pascal Lamy já preveniu que não irá defender os interesses da política comercial brasileira. De qualquer maneira, ele terá muito trabalho pela frente para tentar reequilibrar as trocas comerciais entre os países ricos e os emergentes, escreve o Aujourd'hui en France.

Homenagem a Ferguson

O jornal esportivo L'Equipe faz uma grande homenagem ao técnico inglês Alex Ferguson, do Manchester United que anunciou ontem sua aposentadoria. A capa do jornal é ilustrada com uma grande foto de Ferguson saldando a torcida.

O L'Equipe afirma que uma página da história do futebol será virada com a aposentadoria do técnico do Manchester United no final dessa temporada, no dia 19 de maio. Aos 71 anos, Alex Ferguson comandou o clube inglês por 27 temporadas. Sob seu reinado, o Manchester conquistou 38 troféus e se transformou numa superpotência do futebol mundial. Um monumento, um imenso técnico que deixará saudade.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.