Futebol/Violência

Entrega da taça do Campeonato francês ao PSG termina em confusão

Torcida ovaciona jogadores do Paris Saint-Germain em sua chegada à Praça Trocadéro, nesta segunda-feira, dia 13 de maio
Torcida ovaciona jogadores do Paris Saint-Germain em sua chegada à Praça Trocadéro, nesta segunda-feira, dia 13 de maio AFP PHOTO / KENZO TRIBOUILLARD

Era para ser a grande festa dos torcedores do Paris Saint-Germain, após 19 anos de espera por um título do Campeonato francês. A equipe venceu neste domingo o time de Lyon por um a zero, fora de casa, pela trigésima sexta rodada da competição e se sagrou campeã. Mas as comemorações, que reuniram cerca de 15 mil pessoas na Praça Trocadéro, diante da Torre Eiffel, terminaram em violência, vandalismo e confronto com os policiais. Nossa reportagem acompanhou o evento durante a tarde desta segunda-feira, dia 13 de maio.

Publicidade

Milhares de torcedores se acumulavam nos arredores da Torre Eiffel desde o final da tarde desta segunda-feira. O público reclamava da falta de espaço destinado para a comemoração, mas o clima era animado antes do início do evento. No entanto, uma hora se passou depois do horário previsto para a entrega da taça. Os franceses, que não são muito acostumados com atrasos, não gostaram da demora, e os ânimos começaram a se acirrar.

Torcedores enfrentam policiais durante comemoração

Quando os jogadores chegaram ao local, a torcida se animou, cantou o hino do clube e os aplaudiu. Mas a cerimônia da entrega do troféu foi rápida – o que frustrou muitas pessoas. Quem pôde enxergar o telão, viu os jogadores recebendo suas medalhas, e o capitão do PSG, o brasileiro Thiago Silva, levantando o troféu. Mas foi só.

A partir de então quem deu um controverso show foi o próprio público. Alguns torcedores invadiram o espaço da imprensa, estouraram rojões, escalaram árvores e a plataforma armada para a entrega do troféu, quebraram vitrines das lojas da região, desafiando os policiais que faziam a segurança do local. A multidão deixou o local às pressas no meio de uma correria ocasionada pelo confronto entre policiais e alguns torcedores violentos.

A festa da torcida continuaria durante a noite. Os jogadores haviam convocado o público para saúda-los nas pontes de Paris e às margens do Rio Sena, onde eles deveriam fazer uma volta de barco. No entanto, devido aos incidentes violentos desta tarde, a Nike, marca que patrocinava o evento, resolveu anular esta parte da comemoração “por motivos de segurança”.

Alguns torcedores lamentaram os incidentes. “A festa foi estragada. Eu moro nesse bairro, é vergonhoso”, disse o jovem Alexander, que esperava mais da festa de seu time. “É uma grande emoção, é inacreditável, um momento para ser vivido, mas é verdade que me deu medo de presenciar esse confronto entre os policiais e algumas pessoas”, confessou Sarah Milhavet.

O prefeito de Paris, Bertrand Delanoë, que participou da entrega do troféu, disse que as comemorações não foram arruinadas e que as perturbações foram contidas, mas também se queixou dos vândalos.

Já membros da UMP, o partido da oposição, reclamaram da falta de organização da prefeitura. “As imagens transmitidas ao vivo mostraram uma verdadeira e inadmissível confusão no coração da capital e o principal responsável é o governo”, declarou o secretário-geral da UMP, Geoffroy Didier, através de um comunicado.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.