EUA/Terrorismo

Obama defende drones e promete fechar prisão de Guantánamo

Obama discursa nesta quinta-feira, com logo da Universidade Nacional de Defesa ao fundo
Obama discursa nesta quinta-feira, com logo da Universidade Nacional de Defesa ao fundo REUTERS/Larry Downing

Em discurso na Universidade de Defesa Nacional, em Washington, o presidente dos Estados Unidos Barack Obama defendeu o uso dos aviões não-tripulados, os chamados drones, dizendo que este é o tipo de equipamento que causa o menor número de mortes de civis.

Publicidade

Ele prometeu no entanto uma legislação severa para o "uso de força letal" que, entre outras coisas, prevê maior controle do Congresso sobre as operações e exige "uma quase certeza" do comando militar antes fazer esta opção.

Obama também falou sobre a importância de combater o terrorismo internacionalmente e lembrou que organizações como a Al Qaeda não são restritas a um território e que os Estados Unidos não podem cruzar os braços enquanto elas recrutam militantes além de fronteiras nacionais.

Enquanto falava, o presidente foi interrompido diversas vezes por uma manifestante, que exigia o fechamento da prisão de exceção jurídica instalada na base militar de Guantánamo, em Cuba. O presidente prometeu novamente desativá-la e disse que não vê motivos além da política pra que não seja fechada esta prisão que "nunca deveria ter sido aberta".
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.