Reportagem

Na Etiópia, Brasil busca votos para candidatura de São Paulo à Expo 2020

Áudio 04:07
Celina de Azevedo Rodrigues em evento da União Africana em Adis Abeba.
Celina de Azevedo Rodrigues em evento da União Africana em Adis Abeba. Liliana Henriques/RFI

*Colaboração de Liliana Henriques, enviada especial a Adis AbebaNa esteira do Jubileu de Ouro da União Africana que acontece neste sábado em Adis Abeba na Etiópia, a diplomacia brasileira faz campanha para que São Paulo seja sede da Exposição Universal em 2020. Ao lado da Copa do Mundo e das Olimpíadas, o evento que acontece a cada cinco anos é um dos mais importantes em termos de atração de turistas e de potenciais investidores no mundo. Previsto para ocorrer entre 15 de maio a 15 de novembro, a Exposição Universal deverá reunir quase 30 milhões de visitantes.Em entrevista à RFI, a diplomata brasileira, Celina de Azevedo Rodrigues, coordenadora da campanha, declarou que o apoio dos países que participam do encontro da União Africana é importante para as pretensões brasileiras. “Temos relações muito estreitas com os países africanos. Temos um histórico de cooperação. (...) Estamos aproveitando a presença de muitos presidentes e ministros e estou correndo atrás pedindo votos. Temos que marcar a nossa presença”, afirmou.Segundo Celina de Azevedo Rodrigues, a campanha brasileira tem sido “extremamente proveitosa” e a “acolhida tem sido excelente” entre os participantes do evento em Adis Abeba. A diplomata também afirma que continuará a promover a candidatura brasileira em outros países africanos como o Quênia.A eleição acontecerá em novembro, em Paris, quando o BIE (Bureau International des Expositions) decidirá qual das cinco cidades têm as melhores condições de receber o evento. Além de São Paulo, estão na disputa Dubai (Emirados Árabes Unidos), Esmirna (Turquia), Ayuthaya (Tailândia) e Iekaterinburgo (Rússia).Os demais países candidatos também têm percorrido os corredores da União Africana em busca de apoio. Em tom de brincadeira, a brasileira disse que as demais candidaturas “são todas respeitáveis, mas a de São Paulo é melhor”. A capital paulista defende a bandeira da sustentabilidade para seduzir os jurados. O evento é conhecido por ser um marco das cidades que já o sediaram. A primeira edição, que ocorreu em Londres em 1851, deixou de herança para a cidade o Palácio de Cristal. A edição parisiense presenteou a capital francesa com a Torre Eiffel. Para ouvir a entrevista completa, basta clicar.