Turquia/manifestações

Polícia turca usa canhão d’água para dispersar manifestantes

Manifestante tenta impedir ação da polícia turca na praça Taksim
Manifestante tenta impedir ação da polícia turca na praça Taksim REUTERS/Marko Djurica
2 min

 Milhares de manifestantes reunidos na praça Taksim, em Istambul, foram dispersados por jatos d’água lançados por forças de segurança. Eles se reuniram no local para lembrar a violenta ação no parque Gezi há uma semana, quando policiais usaram canhões de água e gás lacrimogênio para expulsar a multidão.

Publicidade

As pessoas na praça Taksim pediam a demissão do primeiro-ministro Recep Tayiip Erdogan. Um dos gritos de ordem era: “é só o começo, a luta continua”. Antes de ser dispersados, os manifestantes espalharam cravos vermelhos pelo local e na escadaria em direção ao parque Gezi, em homenagem aos mortos, feridos e presos durante a repressão das últimas semanas.

Após uma hora e meia de instruções para que os manifestantes deixassem a praça Taksim, sem sucesso, a polícia entrou em ação. Centenas de integrantes da tropa de choque, com seus escudos, empurravam as pessoas, com o apoio dos jatos de água. As forças de segurança não utilizaram bombas de gás lacrimogênio, cujo uso indiscriminado nas últimas semanas foi bastante criticado, principalmente por associações médicas.

O que começou como um protesto contra um projeto de reforma urbana em Istambul se tornou um vasto movimento de contestação política contra o governo muçulmano-conservador, no poder desde 2002.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.