Acessar o conteúdo principal
Linha Direta

Mãe de britânico assassinado na China quer indenização

Áudio 04:53
O empresário britânico Neil Heywood, morto em novembro de 2011 na China.
O empresário britânico Neil Heywood, morto em novembro de 2011 na China. Reprodução TV
Por: Leticia Constant
7 min

Ann Heywood,  mãe de Neil Heywood, britânico morto na China, quebrou o silêncio depois de um ano e meio  do filho ser assassinado pela advogada Gu Kailai, esposa do ex-líder do Partido Comunista Chinês na importante cidade de Chingkong. O fato provocou o maior escândalo político da China nas últimas décadas. Neil teria sido envenenado pela mulher de Bo Xilai. O caso provocou a derrocada de Bo, e Gu Kailai está na prisão, culpada pela morte do britânico.Janaína Silveira, correspondente da RFI em Pequim, explica que Ann Heywood foi a primeira parente de Neil a falar desde a sua morte. A mãe da vítima afirma que a falta de informações ou do oferecimento de qualquer compensação por parte do governo chinês fez com que ela decidisse se pronunciar. Segundo ela, os filhos de Neil, duas crianças de oito e 12 anos, não só estariam passando pelo luto e expostas a toda a história envolvendo o pai, mas teriam ficado desamparadas financeiramente.Janaína observa que a lei chinesa permite que a família da vítima peça compensação aos culpados pelo crime e, segundo um advogado de Pequim, o pedido chegaria a quase US$ 10 milhões.O problema é que, oficialmente, o salário de Bo Xilai não era alto, e a esposa, formalmente acusada pelo assassinato, deixou de atuar como advogada desde que o marido começou a se destacar na vida política. Ou seja, ela não teria renda.O governo chinês ainda não se pronunciou sobre o pedido da mãe de Neil Heywood.Clique acima para ouvir o programa completo.  

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.