Acessar o conteúdo principal
Atentados/Iraque

Nova onda de atentados faz mais de 30 mortos e 100 feridos em Bagdá

Destroços da explosão de um carro-bomba no bairro de Kadhimiyah, em Bagdá, nesta quinta-feira, dia 15 de agosto.
Destroços da explosão de um carro-bomba no bairro de Kadhimiyah, em Bagdá, nesta quinta-feira, dia 15 de agosto. REUTERS/Stringer
Texto por: RFI
2 min

Uma nova onda de atentados com carros-bomba deixou ao menos 33 mortos e mais de 100 feridos em Bagdá, nesta quinta-feira, dia 15 de agosto. Nos últimos meses, as violências no Iraque vêm batendo recordes e preocupando o governo. Ontem, o primeiro-ministro Nouri al-Maliki fez um apelo pelo respeito a uma campanha de repressão para tentar frear os ataques no país. Até o momento, nenhum grupo assumiu os atentados.

Publicidade

O ataque mais grave desta quinta-feira, a explosão de um carro-bomba em uma estação de ônibus no norte de Bagdá, em Kadhimiyah, matou sete pessoas e feriu 24. Um incidente similar aconteceu no leste da capital, nas proximidades da rede de televisão Al-Ahad, afiliada a um grupo xiita. Vários carros e prédios foram atingidos.

Uma outra grave explosão foi registrada a cerca de 200 metros de um complexo diplomático altamente protegido, e deixou 4 mortos e 12 feridos. O local abriga, entre representações de países ocidentais, o ministério iraquiano das Relações Exteriores, um alvo freqüente de grupos islamitas sunitas, geralmente relacionados a Al-Qaeda. No bairro de Al Chourta AL Rabaa uma bomba explodiu perto de um reservatório de gás matando três pessoas e ferindo 14.

Desde o começo deste ano, os atentados com carros-bomba têm feito parte do quotidiano dos iraquianos. As forças de segurança lançaram vastas operações nas últimas semanas contra os terroristas e prenderam mais de 800 suspeitos. A onda de violências é a mais grave em cinco anos e resultou em quase 3 mil e 500 mortos desde março deste ano.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.