Acessar o conteúdo principal
Linha Direta

Libertação de Moubarak tem simbolismo muito forte para egípcios

Áudio 04:07
Partidários do presidente deposto Hosni Moubarak reuniram-se em frente à prisão no dia de sua libertação condicional, em 22 de agosto de 2013.
Partidários do presidente deposto Hosni Moubarak reuniram-se em frente à prisão no dia de sua libertação condicional, em 22 de agosto de 2013. REUTERS/Amr Abdallah Dalsh (
Por: Leticia Constant

O Egito deve ter mais um dia de protestos, convocados pela Irmandade Muçulmana, em resposta à morte de centenas de manifestantes na semana passada em confrontos com as forças de segurança. Enquanto o país atravessa um dos momentos mais turbulentos de sua história recente, a Justiça libertou o ex-presidente Hosni Mubarak, deposto durante a revolução de 2011. Apesar de a reação ter sido tímida, a libertação é cheia de simbolismo.Hugo Bachega, correspondente da RFI no Cairo, explica que a reação dos egípcios nas ruas à soltura de Mubarak tem sido tímida, quase inexistente, e analisa que a soltura do ex-presidente tem um simbolismo muito forte, especialmente no conturbado momento que o país atravessa: militares voltaram a ditar as regras após o Exército ter derrubado o primeiro presidente democraticamente eleito, que é mantido preso. O próprio Mubarak era um comandante militar.Hugo também foi às ruas conversar com alguns egípcios na emblemática praça Tahrir, que foi o epicentro dos protestos que derrubaram Mubarak em 2011; ele sentiu que existe uma frustração com a libertação de Moubarak: " Um jovem me disse que se sentia traído, outro falou que era o fim de qualquer senso de justiça no país. Há um sentimento de que o Egito não conseguiu avançar desde a revolução, o país atravessa uma forte crise política e social, que tem afetado diretamente a economia, que está praticamente paralisada".Clique acima para ouvir o programa completo.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.