Acessar o conteúdo principal
Reportagem

Dilma demonstra reverter momento negativo após manifestações

Áudio 04:20
A presidente Dilma Rousseff aumentou a vantagem sobre os prováveis oponentes em 2014.
A presidente Dilma Rousseff aumentou a vantagem sobre os prováveis oponentes em 2014. REUTERS/Ueslei Marcelino
Por: Lúcia Müzell

O esforço em evidenciar uma agenda de governo positiva, a recuperação - ainda que lenta - da economia e a desorganização da oposição fazem com que a presidente Dilma Rousseff esteja conseguindo reverter o efeito negativo das manifestações que se iniciaram em junho em todo o país. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Ibope e publicada nesta sexta-feira pelo jornal O Estado de S.Paulo, a petista abriu 22 pontos de vantagem sobre a segunda colocada, Marina Silva, nas intenções de voto nas próximas eleições presidenciais.

Publicidade

Este resultado se soma a outras sondagens que confirmam a retomada da popularidade da presidente, após ter despencado em julho. Na opinião de Luis Gustavo Grohmann, vice-diretor do Centro de Estudos Internacionais sobre Governo, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, os protestos acabaram se canalizando contra os governos estaduais e municipais. As pautas diversificadas dos manifestantes também difundiram a insatisfação sobre a presidente, que recupera, pouco a pouco, os índices de aprovação de que desfrutava antes.

Helcimara de Souza Telles, especialista em comportamento eleitoral da Universidade Federal de Minas Gerais, destaca o esforço da presidente em transformar o momento desfavorável em uma agenda positiva. O embate com os Estados Unidos, no caso das denúncias de espionagem, é o exemplo mais recente das ações que provocam empatia da população.

Na disputa eleitoral, o cientista político Ricardo Ismael, professor da PUC do Rio de Janeiro, observa que, embora a vantagem de Dilma seja clara neste momento, o cenário permanece incerto, enquanto a oposição tem dificuldades em se articular. Marina Silva, por enquanto a principal oponente de Dilma nas eleições de 2014, ainda não conseguiu abrir o próprio partido, a Rede Sustentabilidade, pelo qual pretende concorrer à Presidência.

Para escutar as análises, clique em “ouvir”, acima.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.