Acessar o conteúdo principal
Reportagem

Imagem positiva de Lula foi “blindada” pela mídia, dizem especialistas

Áudio 06:13
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante aniversário dos 10 anos do Bolsa Família, em outubro deste ano.
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante aniversário dos 10 anos do Bolsa Família, em outubro deste ano. REUTERS/Ueslei Marcelino
Por: Daniella Franco

O Supremo Tribunal Federal decretou, na semana passada, as primeiras prisões dos envolvidos no escândalo do mensalão e puniu grandes ícones do governo de Luiz Inácio Lula da Silva, tais como José Genoino, Delúbio Soares e José Dirceu. Esse, que é um dos capítulos negros da democracia brasileira, abalou o Partido dos Trabalhadores (PT), mas poupou seu co-fundador e presidente de honra. Tanto mídia quanto opinião pública, protegem Lula, em um fenômeno que os especialistas entrevistados pela RFI chamam de “blindagem”.

Publicidade

Para escutar a reportagem completa, clique no botão “Ouvir”

O professor do departamento de Ciência Política da USP e integrante do International Social Sciences Council da Unesco, José Álvaro Moisés, disse que houve uma deficiência da oposição política brasileira em não responsabilizar Lula - o que acabou resultando na ausência de um debate pela opinião pública. Além disso, ele acredita que há uma supervalorização do papel de personalidades políticas. “A imagem de Lula foi construída como um líder que veio do meio sindical, dos trabalhadores e que teria uma série de virtudes, e muito raramente aparecem os seus defeitos”, analisa.

Dimensão internacional

A dimensão internacional alcançada por Lula também se manteve intacta diante do escândalo do mensalão. O fato de ser um homem do povo, envolvido nas lutas sociais, um líder que não veio das elites político-econômicas mantém o petista em um pedestal na Europa. É o que explica o professor Frédéric Louault, professor de Ciência Política da Universidade Livre de Bruxelas e integrante do Observatório Político da América Latina e das Caraíbas da Sciences Po de Paris.

“Na Europa, há a idéia de que Lula é o responsável pelo crescimento econômico do Brasil, pela redução da pobreza e das desigualdades, além da imagem de homem competente e pacífico com uma visão social muito importante, que faz essa conexão entre as elites políticas e o povo brasileiro”, explica.

Eleições presidenciais

Todos esses fatores fazem com que Lula continue sendo um ator político fundamental e uma peça-chave do Partido dos Trabalhadores. Pesquisas recentes realizadas pela cúpula do PT mostram que o ex-presidente continua extremamente popular para a opinião pública brasileira, em alguns estados, e inclusive, mais popular que a presidente Dilma Rousseff, que é candidata oficial à reeleição.

Para o professor José Alvaro Moisés, Lula pode ser utilizado como uma alternativa nas eleições do próximo ano. “Como a presidente Dilma teve uma queda de sua popularidade muito acentuada, especialmente nos meses de junho e julho, quando ocorreram grandes manifestações populares no Brasil, o PT está fazendo este teste com a imagem de Lula e pode levar em consideração essa possibilidade”, prevê.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.