Acessar o conteúdo principal
Reportagem

União Europeia e Rússia disputam interesses na Ucrânia

Áudio 05:05
Manifestantes estão mobilizados há duas semanas em Kiev, Ucrânia.
Manifestantes estão mobilizados há duas semanas em Kiev, Ucrânia. REUTERS/Valentyn Ogirenko
Por: Patricia Moribe

Centenas de policiais ucranianos avançaram nesta quarta-feira de manhã contra manifestantes favoráveis à União Europeia em Kiev, que protestam contra o governo do presidente Viktor Yanukovitch há duas semanas. Os Estados Unidos e a União Europeia lamentaram a ação policial. A oposição promete mais mobilização.

Publicidade

São as maiores manifestações desde a Revolução Laranja, de 2004, contra os resultados das eleições presidenciais. Já então a disputa estava polarizada entre um lado pró-Rússia e um lado pró-europeu. A explicação está na própria formação da sociedade ucraniana, dividida praticamente em dois blocos distintos, como explica Gunther Rudzit, especialista em segurança internacional e professor de Relações Internacionais das Faculdades Rio Branco. De um lado estão os ucranianos de origem e de outro, os de origem russa, herança de uma política da época de Stalin, de “russificação da União Soviética”, explica Rudzit.

A Ucrânia, que atravessa dificuldades econômicas e financeiras, renunciou no mês passado a assinar um acordo de associação com a UE que previa a colocação em andamento de um acordo de livre comércio alegando que uma crise com Moscou provocaria perdas econômicas ao país. Esta mudança de opinião foi a causa da maior onda de protestos registrados nesta ex-república soviética desde a Revolução Laranja de 2004.

No braço de ferro entre a União Europeia e a Rússia, os interesses europeus, para o professor Ângelo Segrillo, professor de História da USP e autor de vários livros sobre as ex-repúblicas soviéticas, são geopolíticos, para afastar a Ucrânia da esfera de influência tradicional da Rússia, com a qual tem ligações umbilicais. Mas Segrillo não é favorável à derrubada de um governo legitimamente eleito nas urnas, como é o caso do presidente Viktor Yanukovitch.

Para conferir a reportagem completa, clique em “Ouvir”.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.