Acessar o conteúdo principal
Reportagem

Prédio transformado em obra de Street Art é demolido em Paris

Áudio 04:28
Por: RFI

Durante vários meses, os parisienses se habituaram à vista da Tour 13, prédio transformado em obra de Street Art, situado no 13° distrito da capital francesa. A demolição do edifício acaba nesta quinta-feira (9) e durou três dias, como estava previsto no projeto criado pelo galerista Mehdi Ben Cheik.

Publicidade

O prédio foi aberto para a visitação no ano passado, durante o mês de outubro, e recebeu mais de 25 mil pessoas. Redecorado pelos maiores grafiteiros do mundo, os 36 apartamentos do edifício de nove andares se tornaram uma verdadeira atração na cidade. Artistas brasileiros também marcaram presença : Loiola, Speto, Rapto e Ethos deixaram seus traços neste amontoado coletivo de objetos, cores, formas e rabiscos.

A estimativa, segundo o galerista, é que cerca de 600 visitantes tenham passado pelo local diariamente. Agora, o edifício será destruído, integrando a chamada “experiência urbana”, descrita por Mehdi, que consiste em mergulhar o espectador inteiramente nos universos concebidos pelos artistas. A destruição, explica o galerista, estava prevista desde o início.

O imóvel, praticamente inabitado, foi obtido junto à prefeitura de Paris. "Minha primeira ideia era poder intervir na parte externa do prédio, como eu jamais poderia ter feito se existissem famílias que morassem no local. Olhei através do vidros do imóvel, e acabei tendo vontade de fazer alguma coisa no interior, e não no exterior e assim tive a ideia de criar a exposição", diz Mehdi.

A demolição do prédio pode ser acompanhada ao vivo pelo site www.tourparis13.fr e é uma performance pensada em detalhes. O cineasta Thomas Lallier está encarregado do documentário que acompanha todas as etapas do projeto, incluindo a demolição, e será lançado em maio, transmitido no canal France Ô. Um livro também está previsto em setembro.

"Eu queria acabar a demolição logo, porque esperávamos pelas imagens da demolição para começar a montagem do filme e o livro. Isso faz parte da aventura e era um ingrediente necessário para terminar essa experiência."

O prédio, explica o galerista, será demolido pouco a pouco. A fachada, diz Mehdi, será “arranhada” pouco a pouco, para deixar à mostra o trabalho dos grafiteiros. Câmeras também foram colocadas nos cômodos, para obter imagens inéditas. 

Galerista espera popularizar conceito

Questionado sobre a possibilidade de expandir o projeto para outras cidades, Mehdi diz esperar que o conceito da Tour13 seja reaproveitado por outras pessoas. "Não cabe a mim dar continuidade. Eu tive a ideia, executei, e talvez eu não ache tanta graça assim em fazer isso de novo", conclui.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.