Acessar o conteúdo principal
Greve/Air France

Em meio a impasse, greve da Air France entra na segunda semana

A Air France vai operar apenas 40% dos  voos na segunda-feira  (22/09/14).
A Air France vai operar apenas 40% dos voos na segunda-feira (22/09/14). REUTERS/Christian Hartmann
Texto por: RFI
4 min

A greve da Air France entra na sua segunda semana sem uma solução à vista para o conflito que opõe a direção da empresa e os pilotos. Os grevistas decidiram estender a paralisação até a próxima sexta-feira. Nesta segunda-feira (22), apenas 40% dos voos previstos serão mantidos. A rota entre o Brasil e a França será fortemente afetada.

Publicidade

Desde de 1998, a Air France não vivia uma mobilização tão intensa. Na época, a empresa registrou uma greve de 10 dias. Mas, desta vez, a paralisação pode superar esse recorde. Nessa manhã, os voos que partiam de Paris com destino a Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília foram cancelados. Os voos noturnos saindo dessas cidades com destino à França também não irão decolar.

Em declarações à RFI, uma representante da empresa assegurou que a Air France fará o possível para tentar colocar os passageiros em voos de outras empresas parceiras. Segundo a Air France, a KLM e a Delta aumentaram a frequência de voos em diversas rotas para tentar absorver o fluxo de passageiros afetados pela greve.

Os conselhos para os clientes da empresa permanecem os mesmos. A principal recomendação é tentar trocar os voos marcados até o dia 26 de setembro. Até o dia 12 de outubro, a empresa afirma que as trocas não terão nenhum custo adicional. Quem simplesmente desistir de voar com a Air France também terá a passagem reembolsada.

A Air France declarou ainda que tem oferecido hospedagem para clientes que não puderam embarcar, mas insiste que os passageiros se informem pelo site da empresa ou pelos aplicativos para tablets e smartphones antes de irem para o aeroporto.

Greve faz empresa perder € 15 milhões por dia

Os pilotos grevistas reclamam dos planos da Air France de expandir as atividades da sua empresa low cost Transavia. Eles temem que isso signifique a perda de empregos e uma piora das condições de trabalho. Jean-Louis Barber, presidente do sindicato SNPL, o principal da empresa, diz que os pilotos  "se sentem traídos pela direção da companhia”. O sindicato também solicitou uma reunião com o primeiro-ministro francês, Manuel Valls.

Já o presidente da Air France, Alexandre de Juniac, reclama da intransigência dos pilitos grevistas. Hoje, ele faz uma nova reunião com os funcionários. Ele também informou que a paralisação custa cerca de € 15 milhões (R$ 45 milhões) por dia aos cofres da empresa, justamente em um momento em que a companhia começa a deixar a crise para trás e “emergir”. Em um comunicado interno, a direção também condenou as “tentativas de intimidação” contra os profissionais que não aderiram à greve.

Entre os passageiros, o clima também é de grande insatisfação. “Essa greve já está se tornando interminável”, lamentou Jean-Claude Delarue, presidente da Federação de Usuários dos transportes públicos. “Nós nos perguntamos se a companhia Air France não vai, no futuro, perder fatia de mercado”. Para Delarue, muitos clientes vão, simplesmente, optar por outras empresas aéreas.

Confira abaixo a lista de voos cancelados:

Partindo da França:

-AF 444 Paris- Rio de Janeiro
-AF 456 Paris - São Paulo
-AF 520 Parisè Brasília

Partindo do Brasil:

AF 443 Rio de Janeiro- Paris; AF 445
AF457 São Paulo - Paris; AF459
AF515 Brasília -Paris

A Air France recomenda que os passageiros verifiquem no site as informações antes do embarque, porque a escala de voos está sujeita à alteração.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.