Alemanha promove conferência sobre refugiados sírios

Áudio 04:48
Cúpula internacional sobre ajuda aos refugiados sírios começou nesta terça-feira (28), em Berlim, na Alemanha.
Cúpula internacional sobre ajuda aos refugiados sírios começou nesta terça-feira (28), em Berlim, na Alemanha. REUTERS/Hannibal

O inverno se aproxima e a situação dos refugiados sírios se torna mais dramática a cada dia. Por isso, o governo alemão promove a partir desta terça-feira (28), em Berlim, uma conferência internacional sobre os refugiados da Síria. O encontro terá a participação de representantes de mais de 40 países e organizações humanitárias. Os participantes discutirão as principais medidas a serem tomadas para ajudar os milhões de sírios que fugiram de suas casas e vivem em abrigos provisórios dentro de seu próprio país ou em nações vizinhas.

Publicidade

Marcio Damasceno, correspondente da RFI em Berlim

Segundo o governo alemão, a conferência tem o objetivo de enviar um sinal de solidariedade aos países que abrigam os refugiados sírios. O evento visa discutir como acelerar e melhorar o auxílio imediato aos refugiados que estão vivendo em acampamentos improvisados, não só na Síria como também nos países vizinhos.

A guerra civil da Síria já deixou mais de seis milhões de refugiados em seu próprio país. Além disso, mais de três milhões de sírios fugiram para nações vizinhas, como Líbano, Jordânia, Iraque e Turquia. Os ataques da milícia jihadista Estado Islâmico agravam ainda mais o problema.

Catástrofe do século

O ministro alemão do Desenvolvimento, Gerd Müller, chama esta situação de “catástrofe do século”. Segundo ele, os refugiados estão passando por grandes necessidades, e a ajuda se mostra urgente devido ao inverno que se aproxima, no hemisfério norte. Müller ressalta que nos acampamentos falta tudo, desde cobertores a alimentos e água potável.

Outra meta da conferência é sobre a distribuição da ajuda entre os países doadores e os países vizinhos da Síria, além da decisão sobre quais os locais onde essa ajuda é mais urgente.

70 mil refugiados

A Alemanha é o país da União Europeia que recebeu mais sírios, desde o início da guerra civil: cerca de 70 mil refugiados. Berlim destinou até agora € 630 milhões em ajuda humanitária e pretende anunciar, durante a conferência, um auxílio financeiro adicional.

Junto com a Unicef, a Alemanha pretende construir por exemplo, mais acampamentos de refugiados no Iraque. Segundo o governo alemão, somente 10 dos 26 acampamentos necessários na região estão prontos.

A Alemanha também fez um apelo para que a União Europeia aumente a ajuda humanitária, a curto prazo, em € 1 bilhão adicional. Ongs reivindicam que a ajuda humanitária não só seja duplicada como também que o Ocidente abrigue pelo menos 180 mil refugiados da Síria.

Líbano

A tensão social entre alguns vizinhos da Síria aumenta devido à absorção desse grande número de pessoas que fogem da guerra civil e também dos ataques do Estado Islâmico.

O Líbano, por exemplo, recebeu cerca 1,1 milhão de pessoas - o que corresponde a um quarto da população do país. Muitos libaneses temem perder seus empregos com a chegada dos refugiados, que poderiam ser uma mão de obra barata.

Organizações de defesa dos direitos humanos denunciam casos crescentes de violência contra sírios no país. Por isso, o governo libanês pretende fechar sua fronteira.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI