Diva do fado Mísia lança novo CD "Delikatessen" com convidados famosos

Áudio 11:29
Capa do CD "Delikatessen Café Concerto", da cantora portuguesa Mísia.
Capa do CD "Delikatessen Café Concerto", da cantora portuguesa Mísia.

Nesta quinta-feira (30), tivemos o prazer de receber no Studio 33 a musa underground do fado, a cantora portuguesa Mísia. Ela está de passagem por Paris para lançar o seu 11° CD,  que tem o sugestivo nome de "Delikatessen Café Concerto"e conta com a participação especial de diversos artistas famosos, entre eles, Adriana Calcanhoto.  

Publicidade

A cantora Mísia (à esq.) durante entrevista com Leticia Constant no Studio 33 da Radio França Internacional, em Issy-les-Moulineaux.
A cantora Mísia (à esq.) durante entrevista com Leticia Constant no Studio 33 da Radio França Internacional, em Issy-les-Moulineaux.

Jaqueta de couro, óculos escuros, milhões de colares, Mísia chega na hora carregando sorrisos e CDs.

Este novo trabalho "gastronômico-musical" tem o nome de "Delikatessen Café Concerto", uma referência ao hábito da cantora de comer compulsivamente. E como ela escreve na contracapa do CD, o repertório "funciona como uma refeição caótica, onde podemos saborear algumas das canções que eu adoro há muito". Ela também lembra que a maioria das músicas eram interpretadas por cantores e cantoras que já se foram, de diferentes culturas, épocas e gêneros. Ela nos  convida, assim, a curtir um delicioso momento "gourmet" ouvindo o seu novo lançamento.

Sabor de Brasil dos anos 50

Mísia esteve recentemente no Brasil fazendo um show muito especial, a convite de Adriana Calcanhoto. Ela interpretou diversas pérolas do repertório do país através da linguagem do fado.

Neste novo CD, ela canta  com Adriana "Que Será", de Mário Rossi e Marino Pinto, interpretada pela inesquecível Dalva de Oliveira, e "Só Nós Dois",de Joaquim Pimentel.

Outros convidados famosos também participam do "Delikatessen", como o tenor mexicano Ramon Vargas, o português Paulo Furtado, Legendary Tigerman, Mélech Mechaya e Dead Combo. Mas, sem dúvida, um dos pontos fortes do "banquete musical" da intérprete é o seu dueto com Iggy Pop em "Chanson d'Hélène", do filme "Les Choses de la Vie" (As Coisas da Vida), do diretor francês Claude Sautet.

"Quando canto fado eu sou inteira"

Uma fadista "anarquista", underground, contemporânea, muitas são as etiquetas que tentam definir esta artista múltipla.

"Realmente sou um espírito livre e quanto mais os anos passam, cada vez mais... É muito claro para mim que o artista, e não apenas o artista, uma pessoa, não é "uma" coisa. O fato de eu cantar fado, e fado tradicional, de ter  feito muitos discos com poetas do fado,  como Lobo Antunes, José Saramago, escritores, Fernando Pessoa, até Carlos Drummond de Andrade já cantei, isso não significa que quando interpreto uma canção em francês, ou mesmo um tango, eu seja mais ou menos menos fadista", diz Mísia, insistindo que não somos "unos".

"Nem sempre é fácil, mas este é meu caminho, a minha verdade. Podem me chamar de outsider, anarquista, o que quiserem, mas a verdade é que quando canto fado, eu sou inteira", confessa.

 "Delikatessen Café concerto"é também é um belo objeto, com ilustrações incríveis de Júlio Vanzeler e um projeto gráfico super sofisticado.

Mísia se despede, dá autógrafos, tira fotografias, cantarola no elevador, onde é reconhecida por um jornalista que lembra que no começo de sua carreira ela era criticada por não cantar o fado de forma tradicional. "Isso tudo continua, sabes?", ela responde, sorrindo. Sim, Mísia é uma diva.

Ouça Mísia cantando "Cha Cha Cha em Lisboa":

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI