Acessar o conteúdo principal
Linha Direta

"Mídias alemãs estão divulgando especulações", denuncia presidente da Airbus

Áudio 04:10
Captura do site do jornal Bild desta segunda-feira, 30 de março de 2015
Captura do site do jornal Bild desta segunda-feira, 30 de março de 2015 bild.de
7 min

Quase uma semana depois da queda do Airbus da companhia alemã de baixo custo Germanwings nos Alpes franceses, a Alemanha ainda continua se perguntando sobre os motivos da tragédia, considerada a pior envolvendo uma companhia aérea alemã. O copiloto da aeronave é apontado pelas autoridades francesas o responsável pela queda e diversos detalhes estão vindo à tona sobre a sua personalidade, porém, são fatos não confirmados, o que vem gerando muitas críticas à imprensa.  

Publicidade

Marcio Damasceno, correspondente da RFI Brasil em Berlim

A enxurrada de notícias sem confirmação oficial sobre o acidente e o copiloto Andreas Lubitz já deu motivos para críticas à imprensa internacional e contra a própria imprensa alemã, que normalmente evita publicar, por exemplo, detalhes pessoais das vítimas e não publica fotos mostrando o rosto do copiloto, por respeito ao direito a privacidade. O presidente da Airbus, Tom Enders, por exemplo, reclamou que a mídia alemã está divulgando especulações e que isso é, segundo ele, um desrespeito às vítimas da tragédia.

Especulações sobre o copiloto

Documentos recolhidos pelos investigadores na casa dos pais do copiloto Lubitz, na pequena cidade de Montabaur, e no apartamento que morava em Düsseldorf, mostraram que Lubitz tinha uma licença médica do trabalho para um período que incluia o dia da tragédia. Sob o ponto de vista médico, portanto, ele não teria condições para voar naquele dia. O problema seria de origem psicológica.

Notícias de que o copiloto sofria de problemas psíquicos graves e também problemas de visão não foram confirmadas oficialmente. Os jornais alemães de hoje (30) noticiaram que Lubitz teria um descolamento de retina e, por isso, temesse perder a visão e, por consequência, a licença de piloto. Há informações da imprensa de que ele teria estado em tratamento psiquiátrico.

Houve também declarações de que uma namorada do copiloto disse que ele afirmou que faria algo que levaria o mundo a se embrar do nome dele. Mas não houve confirmação para essa informação, que seria dada por uma ex-namorada de Lubitz.

Ela teria ficado com ele até o ano passado e depois teria se separado. A notícia foi publicada pelo tabloide sensacionalista Bild. Nessse aspecto, as informações parecem desencontradas. A revista Focus, por exemplo, informa que a namorada do copiloto, que esteve com ele por sete anos, teria terminado o relacionamento na véspera de tragédia.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.