Reportagem

Para Brandão, volta ao campo após 6 meses suspenso "é recomeço"

Áudio 03:22
O atacante brasileiro Brandão.
O atacante brasileiro Brandão. facebook.com/pages/Sporting-Club-de-Bastia

Apesar da derrota humilhante de 4 a zero para o PSG na final da Copa da Liga, no sábado (11), um jogador do Bastia saiu feliz do gramado do Stade de France: o atacante brasileiro Brandão. Ele voltou a pisar em um gramado de futebol após cumprir seis meses de suspensão.

Publicidade

Brandão começou no banco de reservas do Bastia e só entrou em campo no segundo tempo, quando só faltavam dez minutos para o apito final. O brasileiro teve pouco tempo para mudar a história do jogo, mas o resultado não tirou o brilho de quem se viu renascer para o futebol.

“Foi tranquilo, graças a Deus, depois de oito meses de muita dificuldade, com muita coisa que aconteceu. Mas voltei de cabeça erguida. Mesmo perdendo o jogo, foi uma vitória para mim, por estar de volta aos gramados”, avaliou o atacante.

Brandão, aparentemente, não se deixou abalar pelas vaias que recebeu das arquibancadas quando seu nome foi anunciado na substituição. A torcida parisiense não esqueceu a cabeçada que Brandão deu em outro brasileiro, Thiago Motta, do PSG, após o jogo entre as duas equipes pelo campeonato francês, em agosto de 2014.

O gesto, flagrado pelas câmeras de tevê instaladas no corredor rumo aos vestiários, se alastrou pelas redes sociais e serviu de prova na hora de seu julgamento pela comissão de disciplina da Federação Francesa de Futebol.

Punição e lesão

O erro fez o atacante ficar seis meses ausente dos campos de futebol. Sua volta estava programada para fevereiro, mas devido a uma rara lesão no tendão da coxa direita, ele foi obrigado a passar por uma cirurgia, o que adiou um pouco mais sua volta.

“Eu e a minha família ficamos muito, muito...”. Sem encontrar as palavras certas para definir o longo período em que esteve fora dos gramados, Brandão faz questão de mostrar que olha apenas para o futuro.

“Aconteceram várias coisas, mas o mais importante é você vencer a cada dia as dificuldades que temos na vida", afirmou, em entrevista à RFI. "O mais importante agora é o recomeço. Foi um dia muito feliz para mim. Independentemente do resultado, o mais importante foi o recomeço, a volta", insistiu.

"Mesmo perdendo, o mais importante agora é terminar bem o campeonato”, disse o atacante do Bastia, time que está em 14° lugar no campeonato francês e ainda luta para se afastar da zona de rebaixamento.

Aos 34 anos, o atacante brasileiro ainda espera continuar atuando no futebol francês por mais tempo. Sem dar detalhes, garante ter propostas de outros clubes. “Já tenho propostas. Vou analisar com carinho. Tenho mais um ano no Bastia. Vamos ver o que vai acontecer. Por enquanto, estou focado nos jogos para fazer gols”, conclui.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.