Acessar o conteúdo principal
Linha Direta

Aumenta pressão na Alemanha pela aprovação do casamento gay

Áudio 04:34
Campanha pelo aprovação do casamento gay no referendo da Irlanda.
Campanha pelo aprovação do casamento gay no referendo da Irlanda. REUTERS/Cathal McNaughton

A aprovação do casamento gay na Irlanda através de um referendo tem provocado reivindicações por direitos mais amplos para casais homossexuais em outras partes da Europa. Na Alemanha, que já permite uniões civis entre pessoas do mesmo sexo, a pressão aumenta sobre o governo, mas os democrata-cristãos, partido da chanceler alemã Angela Merkel, fazem oposição ao casamento gay.Mais de 150 personalidades das áreas de esporte, cultura, ciência, política e economia do país escreveram uma carta aberta endereçada a Merkel, pedindo que na Alemanha os casais homossexuais também possam ter o mesmo direito que os casamentos heterossexuais.

Publicidade

Marcio Damasceno, correpondente da RFI em Berlim

Na Alemanha existe por lei a possibilidade de uma união civil entre pessoas do mesmo sexo, desde 2001. Mas essa união, esse contrato, não é equivalente ao casamento heterossexual. Ela prevê uma série de direitos, como de herança, fiscal, e pecuniário. Mas, entre outras coisas, o casal gay não pode, por exemplo, adotar junto crianças, como é permitido aos casais heterossexuais.

Agora no mês de maio, o governo alemão informou que pretende ampliar os direitos dos casais homossexuais, mas descartou a equiparação absoluta com os casais heterossexuais durante a atual legislatura. O Ministério da Justiça alemão explicou que prepara um pacote legal que prevê a reforma de até 23 leis.

Carta aberta

A grande maioria das 150 personalidades que assinaram a carta aberta são pessoas mais conhecidas na Alemanha. Entre eles, está a cantora Nena, famosa internacionalmente nos anos 80, o cantor Ugo Lindemberg, o ator Til Schweiger. Também há políticos de oposição, como do Partido Verde, e do partido socialista A Esquerda.

Impedimentos para que a Alemanha siga o exemplo da Irlanda

O governo alemão é composto da coalizão entre sociais-democratas e conservadores democrata-cristãos. Enquanto os sociais-democratas são a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo, os conservadores nem querem saber do assunto.

Eles dizem que a família tradicional, baseada no casamento entre um homem e uma mulher, não deve ser equiparada à união entre pessoas do mesmo sexo. O porta-voz da chanceler Merkel ressaltou há poucos dias que apesar de não discriminar o contrato de união entre duas pessoas, a equivalência não é possível, pois há diferenças entre eles, “baseadas nas tradições culturais e religiosas do país”.

Já a população alemã parece ser a favor do casamento gay. Uma pesquisa de opinião publicada pela revista semanal Der Spiegel apontou que 66% dos alemães são a favor que a Alemanha siga o exemplo da Irlanda e equipare a união civil entre pessoas do mesmo sexo ao casamento. A grande maioria dos entrevistados, 75%, acredita que os homossexuais devem ter direitos de adotar crianças, como os casais heterossexuais.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.