Como a Califórnia fez a diferença na batalha contra o coronavírus nos EUA

Californianos praticam o distanciamento social enquanto aguardam uma doação de sangue na Arena Pechanga em San Diego, 14 de abril de 2020.
Californianos praticam o distanciamento social enquanto aguardam uma doação de sangue na Arena Pechanga em San Diego, 14 de abril de 2020. ARIANA DREHSLER / AFP

No início de março, a Califórnia e o Estado de Nova York publicaram relatórios com estatísticas semelhantes na luta contra o novo coronavírus. No entanto, um mês depois, as trajetórias da Covid-19 nesses dois estados são praticamente opostas, e o estado liberal californinano agora é apresentado como um modelo no país, pois parece ter conseguido suavizar a curva de infecção.

Publicidade

Eric de Salve, correspondente da RFI nos Estados Unidos

Os números são realmente impressionantes. O estado da Califórnia, um dos primeiros afetados pela pandemia nos Estados Unidos, registra 15 vezes menos mortes da Covid-19 do que Nova York. Principal explicação dada: o confinamento aconteceu mais rápido na cidade de São Francisco. A Califórnia se pergunta: será que os quatro dias de confinamento antecipado em relação a Nova York fizeram a diferença?

O governador da Califórnia, Gavin Newsom, foi o primeiro nos Estados Unidos a emitir uma ordem de confinamento para seus 40 milhões de habitantes. Naquela época, Nova York ainda se recusava e procrastinava o recolhimento com o apoio do prefeito da cidade, que até aconselhava os habitantes a ir ao cinema.

Menor densidade, menos transporte público

Finalmente, quando o governador de NY, Andrew Cuomo, decidiu ordenar o confinamento, o estado de Nova York já contabilizava 157 mortos. E apenas três semanas depois, de acordo com a contagem da Universidade John Hopkins, a cidade de Nova York ultrapassou os 10.000 mortos e 100.000 infectados.

Nada a ver com os números da Califórnia, que lamenta seus 750 mortos e 20.000 infectados, apesar de ter o dobro de habitantes que o Estado de Nova York.

Mas além desse confinamento mais rápido, outros fatores também foram mencionados. Em Nova York, a densidade populacional é 30% maior que em São Francisco, e a rede de transporte público também é muito mais desenvolvida, e sua posição como um grande corredor internacional pode ter exposto Nova York mais ao coronavírus.

A costa oeste corre para ajudar a costa leste

De qualquer forma, ao contrário de Nova York, não há imagens de hospitais submersos na Califórnia: a costa oeste ainda é capaz de ajudar outros estados, mais afetados pela pandemia.

É um símbolo e tanto, pois os três estados desta costa (Califórnia, Washington e Oregon) foram os primeiros, no final de janeiro, a registrar casos de Covid-19 no país.

Hoje, eles são muito menos afetados que a costa leste e chegaram a enviar 1.000 respiradores artificiais para Nova York e seis outros estados submersos pela pandemia.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.