Acessar o conteúdo principal

Para OMS, declarações dos EUA sobre origem do coronavírus são especulativas

Sede da Organização Mundial da Saúde em Genebra, na Suíça.
Sede da Organização Mundial da Saúde em Genebra, na Suíça. AFP
Texto por: RFI
2 min

 A Organização Mundial da Saúde (OMS) descreveu nesta segunda-feira (04) como "especulativas" as declarações das autoridades americanas que afirmam ter provas de que o novo coronavírus surgiu em um laboratório na cidade chinesa de Wuhan.

Publicidade

"Não recebemos nenhum dado nem prova específica do governo americano sobre a suspeita origem do vírus. Então, para nós, continua sendo especulação", declarou Michael Ryan, diretor de emergências da organização, durante uma coletiva de imprensa virtual, na sede da OMS em Genebra.

Após acusar a China de ter omitido a emergência e a propagação do novo coronavírus, Washington afirma que possui "provas" de que o vírus surgiu em um laboratório em Wuhan. O presidente Donald Trump ameaçou Pequim dizendo que aplicaria "tarifas punitivas."

Os serviços secretos americanos acreditam que o novo coronavírus não foi criado artificialmente nem foi geneticamente modificado, embora não excluam formalmente que possa ter se originado em um laboratório. O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, disse no domingo (3) que havia um "número significativo" de provas que poderiam corroborar essa tese.

Ausência de informação

"Como toda organização que se baseia em evidências, gostaríamos de receber todas as informações sobre a origem do vírus (...) Se estes dados e provas estiverem disponíveis, cabe ao governo americano decidir se pode compartilhá-las, e quando, mas é difícil para a OMS se pronunciar em ausência de informação", disse Michael Ryan.

"Nós nos concentramos nas provas que temos e as provas que temos são do sequenciamento e de tudo o que nos foi transmitido (e) dizem que o vírus é de origem natural", declarou. "A ciência deve estar no centro. A ciência encontrará as respostas", enfatizou este funcionário da agência sanitária da ONU.

(Com informações da AFP)

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.