Com Brasil liderando novas vítimas, pandemia contabiliza meio milhão de mortos no mundo

Um engenheiro testa uma vacina experimental nas instalações da Sinovac Biotech em Pequim, enquanto a corrida global por um tratamento com COVID-19 aumenta.
Um engenheiro testa uma vacina experimental nas instalações da Sinovac Biotech em Pequim, enquanto a corrida global por um tratamento com COVID-19 aumenta. AFP/File

A pandemia do novo coronavírus matou até o momento pelo menos 456.630 pessoas em todo o mundo, desde que a China notificou oficialmente a doença em dezembro de 2019, segundo números da agência AFP, compilados a partir de fontes oficiais nesta sexta-feira (19).  

Publicidade

Mais de 8.555.330 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados em 196 países e territórios desde o início da pandemia, dos quais pelo menos 3.952.400 agora são considerados curados.  

Esse número de casos diagnosticados, no entanto, reflete apenas uma fração do número real de infecções. Alguns países testam apenas casos graves, outros usam o teste como uma prioridade para o isolamento de doentes, e muitos países pobres têm apenas capacidade limitada de rastreamento.  

Desde a contagem feita na quinta-feira à noite, 6.082 novas mortes e 140.554 novos casos foram registrados em todo o mundo. Os países que registraram o maior número de novas mortes são o Brasil, com 1.238 novas vítimas, Espanha (1.179, balanço revisado enquanto o número estava "congelado" desde o início de junho, devido a uma mudança no método contábil) e Estados Unidos (701).  

Os Estados Unidos, que registraram sua primeira morte ligada ao coronavírus no início de fevereiro, é o país mais afetado em termos de número de mortes e casos, com 118.758 mortes para 2.205.307 casos. Pelo menos 599.115 pessoas foram declaradas curadas. 

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil com 47.748 mortes em 978.142 casos, o Reino Unido com 42.461 mortes (301.815 casos), a Itália com 34.561 mortes (238.011 casos) e a França com 29.617 mortes (195.953 casos).  

Entre os países mais atingidos, a Bélgica teve o maior número de mortes em comparação à sua população, com 84 mortes por 100.000 habitantes, seguida pelo Reino Unido (63), Espanha (61), Itália (57) e Suécia (50).  

A China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau) contabilizou oficialmente um total de 83.325 casos (32 novos entre quinta e sexta-feira), incluindo 4.634 mortes e 78.398 curas.  

A Europa totalizou nesta sexta-feira 191.932 mortes para 2.489.195 casos, os Estados Unidos e Canadá, 127.145 mortes (2.305.872 casos), América Latina e Caribe, 89.327 mortes (1.887.950 casos); Ásia 27.563 mortes (963.782 casos), Oriente Médio, 12.994 mortes (618.797 casos), África, 7.538 mortes (280.922 casos) e Oceania, 131 mortes (8.817 casos).  

Esta avaliação foi realizada usando dados coletados pelos escritórios da agência AFP a partir de informações fornecidas pelas autoridades nacionais competentes e informações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.