Epidemia acelera nos Estados Unidos e continua avanço na América Latina

Estados Unidos aumentaram política de depistagem da Covid-19
Estados Unidos aumentaram política de depistagem da Covid-19 AFP

A pandemia do novo coronavírus atinge com força os Estados Unidos, com um grande aumento dos casos no sul e no oeste do país. A Covid-19 também continua devastando o Brasil e acelera na América Latina, principalmente em países como o México.

Publicidade

Os Estados Unidos, país do mundo com maior número de mortes e casos, registrou nas últimas 24 horas mais de 35.900 novos contágios, principalmente no sul e oeste do país. Nesta quinta, o estado do Texas teve 5.966 novos casos de coronavírus e anunciou que imporia uma "pausa temporária" no relaxamento das medidas de quarentena.

O número de contágios no maior estado do país superou por três dias seguidos os 5.000 e o de hospitalizações dobrou em duas semanas. "Caso isso não seja contido nas duas próximas semanas, ficará totalmente fora de controle", ressaltou o governador republicano do Texas, Greg Abbott.

No total, 2,4 milhões de pessoas contraíram a doença na maior economia do mundo, com mais de 125.000 mortos, segundo dados da Universidade Johns Hopkins. Nesta quinta, o diretor dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), Robert Redfield, informou que entre 5% a 8% da população americana foi infectada, segundo projeção com base em testes sorológicos. Isso equivale a dez vezes os números oficiais e mostra que cerca de 24 milhões de pessoas teriam contraído o vírus no país.

Vinte e nove estados enfrentam um ressurgimento dos casos de coronavírus, em um momento em que o país segue lutando contra do desemprego gerado pela pandemia, com cerca de 1,48 milhão de novas demissões, segundo dados semanais publicados pelo Ministério do Trabalho americano.

Pico na Califórnia

O correspondente da RFI em Los Angeles, Loïc Pialat, relata que, entre terça e quarta-feira, a Califórnia registrou mais de 7.000 mil casos do coronavírus. Ele entrevistou pessoas nas ruas que contaram ter medo da rápida propagação da Covid-19 no estado. "Muitas pessoas vão para a praia, principalmente no final de semana", explica Stéphanie, que estava na praia de Long Beach usando uma máscara. "Acredito que haverá muitos casos. Tenho medo", diz. O estudante Andrew tem a mesma opinião e também não tira o acessório nem para andar de bicicleta. "O governo continua a estimular reabertura da economia, mesmo havendo cada vez mais casos", constata. "Estou preocupado."

As autoridades americanas haviam previsto que a reabertura da economia provocaria um aumento do número de casos, mas não a esse ponto. "Não acredito que os dados atuais sejam normais. São, sobretudo, preocupantes. O número de casos nunca diminuiu, principalmente na região de Los Angeles, e os casos que necessitam de hospitalização estão crescendo", declara Timothy Brewer, professor de epidemiologiada universidade da Califórnia.

O estado também colocou em prática uma ampla política de testes. O governador Gavin Newson assegura que seu estado pode testar até 100.000 pessoas por dia. Esse é, aliás, o argumento do presidente americano Donald Trump: segundo ele, os exames são responsáveis pela alta de casos.

Mortes de médicos no Peru

No Brasil, o segundo país mais afetado pela pandemia, os contágios e mortes por coronavírus aumentam de forma vertiginosa. Nas últimas 24 horas, foram registrados 39.483 novos casos e 1.141 mortes, de acordo com o Ministério da Saúde. Com quase 212 milhões de habitantes, o país acumula 54.971 óbitos e 1.228.114 casos confirmados. A América Latina e o Caribe somam 2,28 milhões de casos e 104.905 mortes, mas a região ainda não alcançou o pico da epidemia, segundo a OMS.

O México superou nesta quinta as 25.000 mortes e os 200.000 contágios por Covid-19, quase quatro meses depois de o vírus chegar a este país de 127 milhões de habitantes. Na América do Sul, a Argentina superou os 50.000 casos, às vésperas do endurecimento das restrições ao confinamento no grande epicentro da doença, a cidade de Buenos Aires e seus arredores.

Enquanto isso, no Peru, fortemente atingido pela doença e com 8.761 mortos, um grupo de sindicatos alertou nesta quinta que há 1.850 médicos doentes e 65 mortos pela Covid-19. No Panamá, a lenda do boxe Roberto "Mãos de Pedra" Durán testou positivo para o coronavírus no mesmo dia em que o país centro-americano bateu recorde diário de contágios, ao somar 1.007 casos em 24 horas, totalizando mais de 29.000.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.