Gigante farmacêutica Sanofi anuncia corte de 1.700 vagas na Europa

A Sanofi anunciou nesta sexta-feira a perda de 1.700 postos de trabalho na Europa, incluindo 1.000 na França.
A Sanofi anunciou nesta sexta-feira a perda de 1.700 postos de trabalho na Europa, incluindo 1.000 na França. AP - Christophe Ena

A gigante farmacêutica francesa Sanofi anunciou nesta sexta-feira (26) o corte de 1.700 empregos na Europa, incluindo 1.000 na França, apesar do aumento nas vendas no primeiro trimestre do ano, por conta da crise sanitária causada pelo coronavírus. 

Publicidade

O plano faz parte da nova estratégia do grupo lançada em dezembro, alguns meses após a chegada do britânico Paul Hudson à direção, que busca economizar € 2 bilhões até 2022 e se concentrar na oncologia. "Este não é um plano pós-Covid, como visto em outros setores", mas corresponde à "nova estratégia" do grupo, disse à agência France Presse o presidente da Sanofi na França, Olivier Bogillot.

 O laboratório registrou no primeiro trimestre de 2020 um faturamento de quase € 9 bilhões (cerca de R$ 54 bilhões), o que corresponde a um aumento de 6,9%, e que é amplamente explicado pela pandemia da Covid-19. Neste período, a venda de medicamentos anti-inflamatórios disparou. O grupo planeja pagar a seus acionistas um dividendo mais alto do que no ano anterior, que totaliza quase 4 bilhões de euros (4,4 bilhões de dólares).

O anúncio surpreende, já que a Sanofi é um dos principais produtores mundiais de vacinas e atualmente está trabalhando no desenvolvimento de vacinas contra o coronavírus. Na terça-feira (23), o laboratório anunciou que ampliará a colaboração com a americana Translate Bio, uma empresa de biotecnologia com cotação no índice Nasdaq com a qual está trabalhando em uma vacina contra a Covid-19.  

"Vemos uma grande promessa na tecnologia e na experiência da Translate Bio e acreditamos que a inclusão da plataforma de RNAm a nossa capacidade de desenvolvimento de vacinas nos ajudará a avançar na prevenção das doenças infecciosas, atuais e futuras", disse o vice-presidente da Sanofi Pasteur, Thomas Triomphe.O RNA mensageiro (RNAm) leva o código genético do DNA às células.

Previsão para 2021

A  Sanofi, uma das principais produtoras de vacinas do mundo, está trabalhando em projetos contra a Covid-19. As vacinas podem ficar prontas em 2021. Uma delas, desenvolvida em parceria com o grupo britânico GSK, utiliza a tecnologia de DNA recombinante, já utilizada para uma vacina contra a gripe. Os testes clínicos estão previstos para setembro e a vacina poderia estar disponível no primeiro semestre de 2021, um pouco antes do anunciado inicialmente pela Sanofi.

O grupo francês afirma que tem a capacidade de produzir até um bilhão de doses por ano. Com a Translate Bio, a Sanofi  trabalha em uma vacina baseada na tecnologia do RNA mensageiro. A empresa pretende iniciar um estudo clínico no fim do ano e, caso os dados sejam positivos, obter a aprovação no segundo semestre do próximo ano para uma capacidade de produção de entre 90 e 360 milhões de doses por anos. Outros laboratórios já começaram os testes clínicos, incluindo a empresa americana de biotecnologia Moderna.

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.