Rússia: suspensão da pena de prisão para o diretor Kirill Serebrennikov

O diretor de cinema e teatro russo Kirill Serebrennikov espera antes de sua audiência no tribunal de Moscou em 26 de junho de 2020.
O diretor de cinema e teatro russo Kirill Serebrennikov espera antes de sua audiência no tribunal de Moscou em 26 de junho de 2020. REUTERS/Maxim Shemetov

É o epílogo de um processo judicial que manteve o mundo da arte e do teatro russos em suspense nos últimos três anos. Kirill Serebrennikov, diretor acusado de peculato pelas autoridades de seu país, foi considerado culpado de fraude, mas foi condenado apenas a uma sentença de prisão com sursis. Um alívio para o artista russo e sua equipe.

Publicidade

Daniel Vallot, correspondente da RFI em Moscou

Gritos e aplausos pelo veredito: os apoiadores do diretor de cinema e de teatro russo, Kirill Serebrennikov, reunidos em frente aos portões do tribunal, temiam uma sentença muito mais severa.

Três anos de prisão, mas com sursis (suspensão de pena), significa que o juiz responsável pelo caso se recusa a negar a acusação e o ministério publico, mas que ele desistiu de enviar o diretor para a prisão.

O caso de Serebrennikov despertou grande emoção na Rússia e uma mobilização significativa do mundo cultural, porque parecia uma acusação fabricada para abafar uma das vozes mais inovadoras e reconhecidas do atual teatro russo, uma voz que não não se encaixava nos valores tradicionais e conservadores do poder russo.

"É por isso que queriam silenciá-lo e colocá-lo na prisão", explicou um dos admiradores que vieram apoiá-lo do lado de fora do tribunal, em Moscou, à RFI.

"No final, o caso foi esvaziado, de certa forma, mas a condenação permanece, e mesmo que Kirill Serrebrenikov esteja em liberdade, a ameaça continuará pairando sobre nós", disse o diretor de um teatro de Moscou, preocupado com a liberdade de criação em seu país.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.