Alemanha classifica como “inaceitável” manifestação com milhares sem máscara ou distância social

Manifestação em Berlim reuniu milhares de pessoas sem máscaras contra as restrições de controle do coronavírus
Manifestação em Berlim reuniu milhares de pessoas sem máscaras contra as restrições de controle do coronavírus AP - Christoph Soeder

O governo alemão criticou nesta segunda-feira (3) o que chamou de comportamentos "inaceitáveis" registrados no sábado (1°) durante uma manifestação em Berlim contra as restrições adotadas para controlar a pandemia de coronavírus no país.

Publicidade

"Manifestações pacíficas são importantes, mas as imagens que vimos no fim de semana são inaceitáveis e o comportamento de muitos manifestantes não era justificável", afirmou a porta-voz do governo, Ulrike Demmer, citando "grandes violações" das regras de higiene, como o uso de máscaras ou a distância de 1,5 metro entre as pessoas.

Quase 20 mil pessoas se reuniram nas ruas de Berlim no sábado. O slogan da manifestação era "O fim da pandemia - Dia da liberdade", uma referência ao filme homônimo "Dia da Liberdade", produto de propaganda da cineasta nazista Leni Riefenstahl sobre o congresso do partido de Hitler, em 1935.

De acordo com Demmer, os participantes abusaram "do bem precioso que é a liberdade de manifestação".

Com uma população de 83 milhões de habitantes e 9.200 mortes por Covid-19, a Alemanha é um dos países europeus em que a pandemia teve menor impacto, mas as autoridades temem uma segunda onda de contágios ante o aumento recente de casos.

Em declaração pública na última semana, o ministro da Economia da Alemanha, Peter Altmaier, pediu sanções mais duras por violações às regras de isolamento social e pediu ações firmes em casos de "má conduta irresponsável", por parte da população.

(Com AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.