Covid 19: Rússia anuncia produção de nova vacina por centro especializado em armas biológicas

A Rússia anunciou nesta terça-feira (26) que vai lançar a produção em massa de sua segunda vacina anti-Covid em fevereiro, anunciou o primeiro-ministro Mikhail Mishoustin na terça-feira, quando o país iniciou uma campanha de vacinação em massa na semana passada.
A Rússia anunciou nesta terça-feira (26) que vai lançar a produção em massa de sua segunda vacina anti-Covid em fevereiro, anunciou o primeiro-ministro Mikhail Mishoustin na terça-feira, quando o país iniciou uma campanha de vacinação em massa na semana passada. REUTERS - SHAMIL ZHUMATOV
Texto por: RFI
3 min

A Rússia vai lançar a produção de sua segunda vacina anti-Covid em fevereiro, anunciou o primeiro-ministro Mikhail Mishoustin nesta terça-feira (26), após o país ter iniciado uma campanha de vacinação em massa na semana passada.

Publicidade

"No mês que vem, estamos iniciando a produção em massa da vacina EpiVacCorona", disse Michoustine em uma reunião pela televisão, acrescentando que o governo russo alocou 2 bilhões de rublos (cerca de € 21,8 milhões) para esse fim.

Esta é a segunda vacina desenvolvida pela Rússia contra a Covid-19, cuja epidemia já matou mais de 2 milhões de pessoas em todo o mundo.

Armas biológicas

Registrada na Rússia em outubro, o imunizante foi desenvolvido pelo laboratório Vektor na região de Novosibirsk (oeste da Sibéria). Este centro realizou pesquisas secretas sobre armas biológicas durante o período soviético e contém amostras de vários vírus, que vão da varíola ao Ebola.

A Rússia homologou em agosto sua primeira vacina contra o novo coronavírus, desenvolvida pelo centro de pesquisas de Moscou Gamaleia em colaboração com o Ministério da Defesa. Denominada Sputnik V, em referência ao primeiro satélite soviético, ela foi recebida com ceticismo no mundo, em particular por não ter alcançado a fase final dos testes no momento de seu anúncio com grande alarde pelas autoridades.

Uma parte significativa da elite política russa, no entanto, disse ter sido vacinada. Vladimir Putin citou o exemplo de uma de suas filhas.

Campanha de vacinação

Na semana passada, a Rússia lançou oficialmente uma campanha de vacinação em massa com a Sputnik V, na esperança de impedir a propagação da epidemia sem impor um novo lockdown nacional.

Vladimir Putin disse na segunda-feira (25) que a situação epidemiológica no país "está se estabilizando", com a Rússia tendo registrado menos de 20.000 novos casos de infecção diariamente pela primeira vez desde o início de novembro.

De acordo com dados oficiais publicados diariamente, o país contabilizou 3.756.931 casos de coronavírus na terça-feira, incluindo 70.482 mortes.

Em dezembro, a agência de estatísticas e o governo, porém, reconheceram um número de mortes três vezes maior, com base em uma definição mais ampla de vítimas infectadas com o vírus.

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.