Irã/Japão/Nuclear

Japão adota novas sanções contra Teerã por causa de programa nuclear iraniano

Primeira usina nuclear do Irã, em Bushehr.
Primeira usina nuclear do Irã, em Bushehr. REUTERS

O governo japonês anunciou o bloqueio de bens de 88 organizações e 24 pessoas envolvidas com o polêmico programa nuclear iraniano. Elas também estão impedidas de entrar em território japonês.

Publicidade

O documento adotado pelo Conselho de Ministros proíbe ainda instituições financeiras japonesa de comprar bônus do tesouro emitidos pelo Banco Central iraniano e ainda de usar ações vinculadas a qualquer atividade relacionada com armas nucleares.

Assim como Estados Unidos, União Europeia, Canadá e Austrália, o Japão também decidiu suspender todos os investimentos nos setores de petróleo e gás no Irã. Apesar de ser o quarto maior produtor mundial de petróleo, o Irã importa até 40% do combustível porque não tem capacidade para refinar o produto, o que causa um problema no mercado interno.

Por outro lado, Tóquio não tem projetos de limitar a exportação de petróleo bruto do Irã. Apesar de ter ligações consideradas cordiais com o regime iraniano, o governo japonês endureceu o tom após as novas sanções aprovadas pelo Conselho de Segurança da ONU diante da recusa do Irã em interromper o processo de enriquecimento de urânio. A comunidade internacional suspeita que o programa nuclear seja uma fachada para a produção de armas atômicas. O Irã nega as acusações.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.