Reféns/Afeganistão

Aumenta esperança de libertação para jornalistas franceses sequestrados há quase 9 meses

Faixa na sede da ong Repórteres sem Fronteiras em Paris, no dia 29 de abril de 2010, pedindo a libertação dos dois jornalistas franceses sequestrados no Afeganistão.
Faixa na sede da ong Repórteres sem Fronteiras em Paris, no dia 29 de abril de 2010, pedindo a libertação dos dois jornalistas franceses sequestrados no Afeganistão. AFP/Emmanuel Glachant

Novas declarações do Estado-Maior fazem crescer o otimismo na França em relação a uma possível libertação dos dois jornalistas franceses sequestrados no Afeganistão há quase nove meses. O Exército entrou em contato com eles e as negociações com os sequestradorse parecem estar bem encaminhadas. 

Publicidade

O chefe do Estado-Maior da França, o almirante Edouard Guillaud, afirmou hoje em uma entrevista à rádio parisiense Europe 1 que os dois jornalistas franceses sequestrados no Afeganistão mantêm um moral elevado e podem ser libertados antes do Natal.

« Nós pudemos conversar com eles por telefone e temos outras provas de vida que mostram que eles estão reagindo ao choque de maneira corajosa », disse o almirante. Interrogado sobre as chances de uma libertação dos reféns antes do Natal, ele declarou : «É uma esperança razoável, sim. O canal de comunicação funciona bem.»

O palácio do Eliseu também deixa entender que um final feliz está próximo. « A negociação está praticamente fechada", dizem colaboradores próximos do presidente Nicolas Sarkozy.

Após o anúncio do Estado-Maior, o comitê de apoio aos dois jornalistas se declarou "circunspecto" e "vigilante". "Nós continuamos preocupados com nossos amigos e permaneceremos mobilizados até que eles estejam em um helicóptero em direção a Cabul", afirmou Patricia Philibert, um dos porta-vozes do comitê. Ela lembrou que o Estado-Maior já havia falado de uma possível libertação no final do verão, que não se concretizou. "Mas sabemos que eles estão vivos e que pode-se negociar, esse é o ponto positivo", concluiu.

Os jornalistas Hervé Ghesquière e Stéphane Taponnier foram sequestrados no dia 29 de dezembro do ano passado junto com três acompanhantes afegãos na província de Kapisa, a nordeste da capital Cabul. Eles estavam realizando reportagens para o canal público de televisão France 3. Os sequestradores pertencem ao movimento dos rebeldes talibãs.
 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.