Israel

Netanyahou pede "moderação" a colonos, depois do fim da moratória

Operário trabalhando em um assentamento na Cisjordânia.
Operário trabalhando em um assentamento na Cisjordânia. Reuters

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, pediu aos colonos israelenses que demonstrem "moderação" ao fim dos dez meses de moratória das construções em assentamentos na Cisjordânia.

Publicidade

Nathalia Watkins, correspondente da RFI em Tel-Aviv
 

O pedido do premier não teve repercussão junto a cerca de dois mil e quinhentos colonos, que realizaram uma grande festa na colônia de Revava para marcar a retomada das construções. Durante a cerimônia, foi colocada a pedra inaugural de um jardim de infância no assentamento e dois mil balõoes foram soltos, representando as duas mil casas que serão construídas no local.

Negociações ameaçadas

Netanyahu pediu também aos membros de seu gabinete que não se pronunciem sobre o tema, para evitar um aumento de tensão. Os palestinos ameaçam abandonar as negociações se as construções forem retomadas^; o premier, por seu lado, vem declarando que não ampliará o prazo. Os Estados Unidos esperam que um acordo entre as partes seja alcançado antes que as negociações sejam suspensas de fato, o que pode acontecer depois de uma reunião do Comitê da Liga Árabe no dia 4 de outubro, no Cairo.

Se as duas partes não chegarem a um compromisso, o fim da moratória pode marcar também o fim das negociações de paz no Oriente Médio, retomadas com o patrocínio da Casa Branca há menos de um mês. O processo de paz foi suspenso pela última vez em dezembro de 2008, depois da ofensiva israelense na Faixa de Gaza.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.