Conselho de Segurança/ONU

Alemanha, Canadá e Portugal disputam vaga no Conselho de Segurança

Reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Reunião do Conselho de Segurança da ONU. UN Photo/Paulo Filgueiras

A Assembleia Geral das Nações Unidas escolhe, nesta terça-feira, os cinco novos membros não-permanentes do Conselho de Segurança, distribuídos por grupos regionais. Índia, África do Sul e Colômbia devem obter assentos. Portugal, Canadá, Austrália, Nova Zelândia e Alemanha disputam as outras duas cadeiras.  

Publicidade

O Conselho de Segurança, principal órgão de decisão das Nações Unidas, é composto de quinze membros, sendo cinco deles permanentes e com direito a veto: Estados Unidos, China, França, Rússia e Reino Unido. Na votação de hoje, para obter um assento, cada país precisa de pelo menos dois terços dos votos da assembleia-geral para ser eleito, ou seja, 128 votos de um total de 192. Os eleitos terão mandato de dois anos a partir de 2011.

As regiões África, Ásia e América Latina já definiram em negociações prévias os novos eleitos. Dos países que estão deixando o Conselho, Uganda deverá ser substituído pela África do Sul; o Japão vai ceder seu lugar à Índia; e a Colômbia assumirá a vaga deixada pelo México. O mesmo não aconteceu na zona "Europa e outros grupos", em que Alemanha, Portugal e Canadá disputam os assentos deixados pela Áustria e a Turquia.

Esses três países estão há meses em campanha para conquistar uma vaga. O chanceler alemão Guido Westerwelle está em Nova York desde domingo para defender a candidatura de Berlim. O embaixador alemão na ONU, Peter Wittig, lembra que Canadá e Portugal são "ótimos candidatos, países aliados e amigos". Como a votação é secreta, tudo pode acontecer.

A Alemanha fez campanha para obter uma vaga não-permanente no Conselho de Segurança da ONU com a proposta de "buscar uma política ativa pela paz". A porta-voz da missão do Canadá na ONU, Sofia Morsly Sikai, afirma ter sinais positivos de que o país tem chances de obter a cadeira. Portugal também está otimista e lembra que está em campanha para obter sua vaga há dez anos. Em setembro, durante seu discurso na Assembleia Geral, o primeiro-ministro português, José Sócrates, falou sobre a motivação do país para concorrer ao assento rotativo.

Segundo a ONU, o Canadá tem participado do Conselho de Segurança desde o início do órgão em quase todas as décadas. A Alemanha esteve no Conselho com uma vaga rotativa pela última vez entre 2003 e 2004.

Brasil tem vaga no período 2010-2011

O Brasil, junto com Bósnia-Herzegovina, Gabão, Líbano e Nigéria, foi eleito em outubro do ano passado membro não-permanente do Conselho para o período 2010-2011. O Brasil já fez parte do Conselho de Segurança em 1946-47, 1951-52, 1954-55, 1963-64, 1967-68, 1988-89, 1993-94, 1998-99 e 2004-05, e vem pleiteando um assento permanente, pelo que já obteve manifestações de apoio de vários países.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.