Turquia/Terrorismo

Ataque suicida em Istambul deixa 32 feridos

A polícia fiscaliza o local da explosão em Istanbul, neste domingo
A polícia fiscaliza o local da explosão em Istanbul, neste domingo Reuters/Murad Sezer

O governo suspeita que o atentado tenha sido organizado pelos integrantes do PKK, o Partido dos Trabalhadores do Curdistão.

Publicidade

Cerca de 32 pessoas, 15 policiais e 17 civis, ficaram feridas neste domingo em um ataque suicida no centro de Istambul, neste domingo. Um kamikaze explodiu seu cinto de explosivos na praça Taksim, um dos lugares mais movimentados da cidade, perto de um veículo da polícia que estava estacionado perto do monumento da República, em homenagem a Mustafa Kemal Ataturk, o primeiro presidente do país.

A praça foi fechada depois da explosão. As autoridades suspeitam que o ataque, que visava as forças de segurança turcas, tenha sido planejado por separatistas curdos, integrantes do PKK, o Partido dos Trabalhadores do Curdistão, mas nenhum grupo reinvidicou a ação. Outros militantes de extrema esquerda, além da própria Al Qaeda, também atuam na região. Em 2003, os ativistas da rede terrorista organizaram uma série de atentados que resultaram na morte de 57 pessoas em Istanbul.

Em visita no sudeste do país, o primeiro-ministro turco, Recep Tayyp Erdogan, garantiu que o atentado não intimidaria o governo. “Não vamos tolerar ameaças contra a paz, a segurança e o desenvolvimento da Turquia”, declarou, durante um discurso na TV. O governo prepara uma ofensiva no norte do Iraque contra os rebeldes que se escondem na região. Neste domingo, o governo também anunciou a prisão de 16 membros de uma organização de extrema esquerda, o DHPK/C, Partido de Libertação do Povo Revolucionário.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.