EUA/terrorismo

Polícia prende no Iêmen suspeita de enviar bomba aos EUA

A segurança foi reforçada na capital do Iêmen, Saana, depois da descoberta dos dois pacotes de explosivos em Dubai e na Grã-Bretanha
A segurança foi reforçada na capital do Iêmen, Saana, depois da descoberta dos dois pacotes de explosivos em Dubai e na Grã-Bretanha Reuters/Khaled Abdullah

A mulher, estudante de Medicina na universidade de Sanaa, na capital do Iêmen, foi encontrada através de um telefone celular deixado na fatura de envio dos dois pacotes interceptados nesta sexta-feira em Dubai e na Grã-Bretanha. Autoridades britânicas acreditam que as embalagens poderiam explodir durante o voo para os Estados Unidos

Publicidade

A polícia iemenita prendeu neste sábado uma mulher suspeita de ter enviado os dois pacotes de explosivos com destino aos Estados Unidos, interceptados em aviões cargos em Dubai e na Grã-Bretanha nesta sexta-feira. Segundo o presidente do país, Ali Abdallah Saleh, a mulher, cuja identidade não foi revelada, foi presa em uma casa em Sanaa, na capital. O local foi cercado nesta tarde pelos policiais. A suspeita, estudante de Medicina de uma universidade da cidade, foi encontrada graças a um número de celular fornecido à empresa de transporte, que constava na fatura de envio das encomendas.

As duas embalagens tinham marca da rede terrorista Al Qaeda, que por enquanto não assumiu a autoria do suposto atentado, que visava sinagogas em Chicago. O dispositivo encontrado em Dubai poderia ser acionado à distância pelo celular, e antes de chegar à Sanaa fez uma escala em Doha, segundo as autoridades. As duas embalagens, escondidas em cartuchos para impressora, continham chumbo e trinitrato de pentaeritritol (PENT), o mesmo material usado numa tentativa de atentado contra o voo 253, com destino a Detroit, no ano passado.

O presidente do Iêmen reiterou seu engajamento na luta contra o terrorismo, mas disse “que não aceitará interferências externas.” O principal conselheiro do presidente Barack Obama na Casa Branca, John Brenna, ligou neste sábado para o chefe de estado, dizendo que os Estados Unidos iriam apoiar o governo e o povo iemenita na luta contra a Al Qaida na península arábica, e ajudar nas investigações. As autoridades iemenitas também confiscaram, neste sábado, 26 pacotes suspeitos. Diversos funcionários das companhias de transporte aéreo de Sanaa foram interrogados.

Governo reforça segurança

O governo também instalou postos de controle em Sanaa para vasculhar os veículos. Dezenas de policiais e militares foram destacados para garantir a segurança da capital, principalmente no bairro onde estão localizadas as embaixadas. A segurança também foi reforçada nos portos e aeroportos do país.

Neste sábado, o premiê britânico David Cameron disse que o artefato encontrado na Grã-Bretanha poderia explodir a bordo do avião a caminho dos Estados Unidos, mas era impossível saber se isso aconteceria antes ou depois da aeronave deixar o espaço aereo britânico. A mesma informação foi dada mais cedo pela ministra do Interior, Theresa May.

Na França, a Direção Geral da Aviação Civil anunciou a suspensão de encomendas provenientes do Iêmen. Segundo um comunicado divulgado pela Direção, a decisão foi tomada depois de uma discussão entre os Ministérios Europeus dos Transportes.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.