Papa/Protestos

Grupo prepara « beijaço » gay contra visita do papa Bento 16 à Espanha

Cartaz do protesto contra o papa Bento 16 em Barcelona
Cartaz do protesto contra o papa Bento 16 em Barcelona Queerkissing flashmob

O papa chegou na manhã deste sábado a Santiago de Compostela onde inicia uma visita de dois dias a Espanha. No sábado à noite, o papa chega a Barcelona. Hoje, Bento 16 lamentou que o confronto entre “a fé e a modernidade” esteja “tão vivo” entre  o povo espanhol. De fato, a chegada do papa à Espanha gera uma série de protestos.  

Publicidade

Um beijo coletivo de 500 casais, gays e heterossexuais, é a maneira com a qual o papa Bento XVI será recebido em Barcelona neste domingo. O ato faz parte de uma série de protestos de grupos espanhóis contra a visita do pontífice ao país neste fim de semana. Os manifestantes criticam o tratamento de chefe de Estado que dado a Joseph Ratzinger e, principalmente, os gastos do governo e da igreja católica espanhola com a visita, que chegam a 600 mil euros. Também exigem do papa uma posição com relação aos abusos sexuais dentro da igreja.

O beijaço está previsto para acontecer durante em frente à igreja da Sagrada Família de Barcelona, no momento da missa que o papa Bento XVI rezará no local. Segundo os organizadores, é um protesto contra a condenação do pontífice ao matrimônio homossexual. Esta, aliás, é uma das principais bandeiras que Ratzinger traz para a Espanha, junto com o combate ao aborto.

Por isso, a visita do papa causa um certo mal-estar no governo espanhol, que aprovou recentemente leis flexibilizando o aborto e permitindo a união legal de casais gays. O chefe do governo, José Luis Rodríguez Zapatero, não participa das cerimônias com o papa em Santiago de Compostela nem Barcelona, onde Ratzinger será recebido pelo vice-presidente, Alfredo Pérez-Rubalcaba, e pelos príncipes de Astúrias.
E também por milhares de manifestantes que, unidos em movimento chamado “Eu não te espero”, com relação à vinda do papa, prometem fazer barulho nas duas cidades que o pontífice visita.

"Descristianização"

Ao longo da semana, houve uma série de protestos ao longo do país. No principal deles, na noite de quinta-feira em Barcelona, cerca de 3 mil pessoas se reuniram com cartazes em que acusavam a igreja de omissão ante os casos de abuso sexual de menores e chamavam o papa de palhaço.

Bento 16 afirma que a sua viagem pela Espanha tem o objetivo de combater o processo de "descristianização" que se acentua no continente europeu.  Integrantes de grupos laicos, ateus, feministas e homossexuais, os manifestantes fazem parte também de uma legião de não católicos cada vez mais expressivos na Espanha, um dos países com o maior número de cristãos no mundo, cerca de 73% da população, segundo o Centro de Investigação Sociológica espanhol. Mas, nos últimos cinco anos, este número caiu em cinco pontos percentuais. Uma situação que o Vaticano tenta reverter com esta viagem de Bento 16.
 

Colaboração de Luisa Belchior, correspondente em Madri

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.