Energia

Mundo deve pensar em alternativas ao petróleo, alerta agência de energia

Relatório da Agência Internacional de Energia defende fontes alternativas ao petróleo.
Relatório da Agência Internacional de Energia defende fontes alternativas ao petróleo. http://www.worldenergyoutlook.org/

A cotação do barril de petróleo chegará a 200 dólares em 2035. Essa é a previsão da Agência Internacional ce Energia em relatório divulgado hoje. Mesmo se o cenário parece ainda muito distante, a agência alerta que os países devem estar atentos à necessidade de pensarem em energias alternativas ao petróleo desde já.

Publicidade

O mundo ainda não corre o risco de ter uma escassez de petróleo, mas é hora de encontrar um outro modelo energético, diz a Agência Internacional de Energia. No relatório divulgado nesta terça-feira, a agência pede que os países abandonem os programas de subsídios a energias fósseis. No ano passado, esses recursos somaram 312 bilhões de dólares contra apenas 57 bilhões para as energias renováveis.

Nesse assunto, a experiência brasileira com o etanol merece grande espaço no estudo que é divulgado anualmente. O país já é um dos grandes atores do mercado mundial de energia e a contribuição brasileira tanto no setor de petróleo quanto em biocombustíveis será essencial para equilibrar a oferta e a demanda nos próximos anos.

Os Estados Unidos e a União Europeia devem ser os líderes mundias na produção e no consumo de biocombustíveis nas próximas décadas. Mas o relatório ressalva que, por enquanto, o Brasil é de longe o país onde a relação custo/benefício da produção de etanol, por exemplo, é a mais competitiva.

Além da bioenergia, a produção brasileira de petróleo também ganha relevância. De acordo com as projeções da agência, entre os países que não pertencem à Opep, o Brasil deve ser um dos líderes da produção de óleo bruto graças às reservas do pré-sal. Os especialistas avaliam que o supercampo de Tupi, que tem reservas estimadas de 8 bilhões de barris, já deve começar a produzir em 2011.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.