Oriente Médio

Em visita oficial, premiê turco reafirma apoio a Líbano contra Israel

Primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, discursa em Beirute, no Líbano.
Primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, discursa em Beirute, no Líbano. Reuters

A visita de Recip Erdogan acontece em momento tenso, quando o Líbano enfrenta ameaça de crise interna, diante de novos indícios de participação do Hezbollah no assassinato do ex-primeiro-ministro Rafik Hariri, em 2005. O Hezbollah faz parte do governo de coalizão e nega envolvimento no crime.

Publicidade

A Turquia não vai se calar caso Israel ataque o Líbano ou Gaza, afirmou nesta quinta-feira o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, em visita oficial a Beirute. A demonstração de solidariedade acontece no momento em que o Líbano enfrenta uma crise com o tribunal da ONU encarregado de investigar a morte do ex-premiê libanês Rafic Hariri.

O Tribunal Especial para o Líbano publica em breve um ato de acusação implicando membros da guerrilha do Hezbollah no assassinato, ocorrido em 2005. O partido xiita Hezbollah é o movimento militar mais poderoso do Líbano e faz parte do gabinete de coalizão. O grupo negou em varias ocasiões envolvimento na morte de Hariri, cujo filho, Saad, é o atual premiê do país. Há temores de que o indiciamento de integrantes do Hezbollah possa gerar uma crise política interna e violência no Líbano. O Hezbollah acusa o tribunal da ONU de ser instrumento de Israel.

O governo islâmico conservador de Erdogan busca aumentar influência no mundo árabe. As relações entre Turquia e Israel, antes aliados estratégicos, ficaram tensas desde a ofensiva israelense no final de 2008 e início de 2009 na Faixa de Gaza. Outro incidente que aumentou o mal-estar entre os dois países foi o ataque militar israelense contra uma flotilha humanitária que tentava furar o bloqueio a Gaza, em maio.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.